app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Cidades

Empresas de ônibus de Maceió perdem 310,4 mil passageiros em um ano

Análise comparativa entre 2022 e 2023 mostra redução de 0.66% no número de usuários na capital

Por Tatianne Bandão | Edição do dia 27/01/2024 - Matéria atualizada em 27/01/2024 às 04h05

Os reflexos da pandemia ainda duram em alguns setores da economia de Maceió. No cenário pós-pandêmico, a capital vem enfrentando um desafio no que diz respeito ao transporte público, mais precisamente a queda no número de passageiros. A análise comparativa entre os anos 2022 e 2023 mostra uma diminuição total de 310,409 passageiros.

De acordo com dados do Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Passageiros de Maceió (Sinturb), no início da pandemia, em 2020, o sistema de transporte público da cidade já havia enfrentado uma redução significativa, marcando 36.2 milhões de passageiros, comparado aos 61.5 milhões de 2019.

Em 2021, o número aumentou para 39.6 milhões e, embora 2022 tenha apresentado uma melhora, atingindo 45.2 milhões, o ano seguinte trouxe uma nova queda no fluxo de passageiros no transporte público.

Mesmo com o fim da pandemia em 2023, o número de passageiros diminuiu para 44.9 milhões, revelam os dados. A média mensal de passageiros em 2023 foi de 3.7 milhões, uma leve queda em relação a 2022, que registrou uma média de 3.8 milhões.

O Sinturb afirma que, apesar da queda nos números, diversos investimentos foram realizados pelas empresas de transporte público de Maceió, incluindo a abertura de novos postos de atendimento e a aquisição de ônibus modernos com recursos como ar-condicionado e carregadores USB.

Além disso, mesmo diante das adversidades, as empresas têm implementado iniciativas como o “Domingo é Livre” e o “Passe Livre”, proporcionando uma tarifa mais acessível em comparação a outras capitais do país.

Mais matérias
desta edição