app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5655
Cidades

Alagoas tem a 3ª pior cobertura vacinal contra o HPV no NE

No Brasil, estado ficou na oitava posição entre os que não tiveram a segunda dose do imunizante aplicada

Por greyce bernardino | Edição do dia 27/01/2024 - Matéria atualizada em 27/01/2024 às 04h00

A vacinação contra o HPV [Papilomavírus Humano] está em queda em Alagoas. Ela é indicada para adolescentes e pessoas com situações específicas de saúde e está disponível no Sistema Único de Saúde (SUS).

No entanto, Alagoas é o 3° estado do Nordeste com pior desempenho na aplicação da segunda dose, segundo o DATASUS, ficando atrás da Bahia e Rio Grande do Norte.

É importante destacar que o HPV é a principal causa do câncer de útero. Completar o esquema vacinal é necessário.

“A imunização de ambos os sexos é imprescindível para quebrar a cadeia de transmissão do HPV, que é fator de risco para desenvolvimento de câncer de pênis, vulva, vagina, reto e de cabeça e pescoço (orofaringe/garganta) e, principalmente, de colo do útero”, explicou o oncologista Renato Paez.

Este ano, completa uma década que a vacina começou a ser distribuída no SUS. Ela é aplicada em meninas e meninos de 9 a 14 anos. “A intenção nessa faixa etária é justamente fazer uma imunidade antes que a pessoa inicie sua atividade sexual”, continua Paez.

Em 10 anos, foram aplicadas 368 mil doses da primeira etapa do imunizante em Alagoas, segundo o DATASUS. O número acendeu um alerta. Entre 2014 e 2023, 112 mil meninas não tomaram a segunda dose. E apenas a primeira aplicação não é eficaz. “Quanto melhor o esquema de vacinação, menor o risco de contrair o câncer”, finalizou o oncologista.

Alagoas só ficou atrás da Bahia e do Rio Grande do Norte, sendo o o terceiro Estado com pior desempenho vacinal. A nível nacional, ficou na oitava posição entre os estados que não tiveram a segunda dose aplicada.

VACINAÇÃO

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) ressalta a importância da aplicação da segunda dose da vacina contra o HPV. O imunizante está disponível gratuitamente nas Unidades Básicas de Saúde.

Já na rede privada, a vacinação está disponível dos 9 aos 45 anos (mulheres) e dos 11 aos 45 anos (homens).

O HPV é a infecção sexualmente transmissível (IST) mais comum no mundo. A transmissão acontece por meio do contato pele com pele ou mucosas de forma oral, genital ou anal, tanto de homens quanto de mulheres, provocando verrugas anogenitais e câncer, a depender do tipo de vírus. A infecção não apresenta sintomas na maioria das pessoas e, em alguns casos, pode ficar de meses a anos sem manifestar sinais visíveis a olho nu.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) definiu como meta reduzir a quantidade de novos casos de câncer de colo do útero, em todo o mundo, até 2030. Para isso, é fundamental aumentar a porcentagem de vacinados contra o HPV.

Mais matérias
desta edição