app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5656
Cidades

AL é reconhecida como área sem cancro cítrico

O Diário Oficial da União publicou, em sua edição dessa segunda-feira (29), uma portaria do Ministério da Agricultura e Pecuária que reconhece o status fitossanitário para o cancro cítrico em Alagoas. Esse é um reconhecimento de que o Estado está livre d

Por greyce bernardino | Edição do dia 30/01/2024 - Matéria atualizada em 30/01/2024 às 04h00

O Diário Oficial da União publicou, em sua edição dessa segunda-feira (29), uma portaria do Ministério da Agricultura e Pecuária que reconhece o status fitossanitário para o cancro cítrico em Alagoas. Esse é um reconhecimento de que o Estado está livre da doença.

A medida é de extrema importância para a agricultura e a economia local. Dessa forma, garante a segurança e a qualidade dos produtos cítricos produzidos na região. Além disso, contribui para a manutenção de parcerias comerciais e facilita a exportação desses produtos para outros mercados.

De acordo com a portaria, o reconhecimento entra em vigor a partir de 1º de março de 2024, destacando a importância da data para o início das novas medidas fitossanitárias no Estado.

Segundo a Agência de Defesa e Inspeção Agropecuária de Alagoas (Adeal), o cancro cítrico é causado por uma bactéria é uma das mais graves doenças da citricultura brasileira.
Ela ataca os tecidos vegetais, e ocorre de forma severa em regiões onde o clima no verão é quente e úmido, manifestando-se em folhas, frutos e ramos através da formação de lesões necróticas.

Na portaria publicada consta que não há medidas de controle capazes de eliminar completamente a doença. As plantas quando infectadas e a eliminação da bactéria de uma área exige a erradicação das plantas doentes e das demais suspeitas de contaminação.

A doença manifesta-se por lesões em folhas, frutos e ramos, e quando em altas severidades pode provocar a queda de frutos e folhas com sintomas.

Mais matérias
desta edição