app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5655
Cidades

Fabricante de ar-condicionado apura explosão

A empresa Elgin, fabricante de ar-condicionado, informou que instaurou um procedimento para apurar o incidente que resultou na morte do trabalhador Gyula Morais Csehes, de 38 anos, em Maceió. O técnico de manutenção foi atingido por uma explosão, nessa se

Por Jobison Barros | Edição do dia 01/02/2024 - Matéria atualizada em 01/02/2024 às 04h00

A empresa Elgin, fabricante de ar-condicionado, informou que instaurou um procedimento para apurar o incidente que resultou na morte do trabalhador Gyula Morais Csehes, de 38 anos, em Maceió. O técnico de manutenção foi atingido por uma explosão, nessa segunda-feira (29), enquanto realizava o conserto do equipamento da marca.

O técnico ficou ferido depois que o cilindro de gás do aparelho explodiu. Ele teve o rosto deformado, múltiplas queimaduras e chegou a ser socorrido, mas devido à gravidade dos ferimentos não resistiu e morreu no hospital um dia depois.

Morais tinha uma empresa de climatização e refrigeração no município de Coruripe. Por meio de nota, a fabricante declarou que o técnico não fazia parte de sua rede autorizada, e que segue todos os procedimentos e normas técnicas.

O Ministério Público do Trabalho (MPT) informou, por meio de nota, que vai apurar o acidente. "A denúncia do acidente de trabalho será distribuída a um dos procuradores do MPT, que irá prosseguir com a investigação. O objetivo do Ministério Público do Trabalho é analisar as circunstâncias do acidente e apurar responsabilidades", disse o órgão na nota.

morte por traumatismo

O Instituto Médico Legal (IML) divulgou o resultado do exame cadavérico realizado no corpo do técnico. Segundo o laudo, Gyula Morais morreu em decorrência de um traumatismo cranioencefálico.

O perito médico legista Avelar Holanda, responsável pela necropsia, informou que, com a explosão, peças do equipamento atingiram a face e o crânio. A força do impacto produziu na vítima um traumatismo craniano grave, com fratura de ossos da cabeça e lesão de tecido cerebral.

“Ele chegou a ser submetido a uma neurocirurgia no HGE, porém não resistiu à gravidade dos ferimentos e morreu. O corpo dele apresentava também queimaduras leves de primeiro grau na face, tórax e braços”, explicou o perito médico legista, que irá encaminhar o laudo pericial para a delegacia responsável por instaurar o inquérito policial.

"Pesadelo horrível"

Gyula Morais tinha 6 filhos. Nas redes sociais, uma das filhas postou uma homenagem ao pai. "Como eu queria voltar no tempo, meu paizinho... Tudo isso parece um pesadelo horrível e eu só quero acordar e te ver. Você deixou 6 filhos, que assim como eu estão desolados. Esteja com a gente aí de cima, Tico. Temo amo tanto", diz o post da filha no Instagram.

Mais matérias
desta edição