app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Cidades

Crescimento da população idosa impõe avanço de políticas de proteção

Alagoas tem 8,3% da população com idade acima de 65 anos, um total de 259.583 idosos, segundo o IBGE

Por Rogério Costa | Edição do dia 17/02/2024 - Matéria atualizada em 17/02/2024 às 04h00

Embora a população de idosos tenha aumentado significativamente nos últimos anos, com o aumento da expectativa de vida, as necessidades caracteríticas de quem passa dos 60 anos torna envelhecer um desafio.

Pensando em melhorar a qualidade de vida dessa parcela da população, a Câmara de Vereadores de Maceió fez uma sessão pública, no ano passado, para discutir os desafios e apontar soluções para a pessoa idosa que vive na capital alagoana. A iniciativa foi dos vereadores Fábio Rogério (PSB) e Pastor Oliveira Lima (Republicanos).

Na ocasião, Fábio Rogério (PSB) reforçou sua preocupação com os idosos de Maceió e enfatiza que muitos dos projetos de sua autoria são voltados para a população da terceira idade.

“Precisamos ampliar o número de equipamentos que promovam entretenimento, inclusão na cultura, no esporte e lazer. Outra questão preocupante é a violência sofrida por esses idosos dentro de casa. É preciso uma atuação mais efetiva, em conjunto, entre instituições da sociedade civil, os órgãos da Segurança Pública e a Justiça”, afirmou o parlamentar.

O vereador é autor de diversos projetos relacionados ao tema, como o programa “Ativa Idade”, que busca a capacitação da pessoa idosa e estimula a contratação de pessoas com 60 anos ou mais, além da criação do “Selo Amigo”, concedido às instituições que prestam atendimento aos idosos na capital. Ele também propôs a realização da “Semana Municipal da Pessoa Idosa”, durante a primeira semana do mês de outubro; e da adoção do Programa “Bairro Amigo”, que visa incentivar o envelhecimento saudável.

PARTICIPAÇÃO CIDADÃ

Conforme os dados levantados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Alagoas tem atualmente 8,3% da população total acima de 65 anos, ou seja, 259.583 idosos. Em Maceió, 82.380 pessoas são idosas.

O Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa Idosa (CMDPI) é responsável por fiscalizar o cumprimento da política de defesa dos direitos dos idosos em Maceió.

Para a presidente do CMDPI, Sheila Maria Santana, parcerias têm ajudado a instituição a promover melhorias para os idosos.

“Firmamos parcerias importantes com o Ministério Público, através da promotora Maria Aparecida, da 25ª Promotoria, foram feitas várias visitas com fiscalização nas instituições de longa permanência da capital. Participamos de várias audiências públicas na Câmara, através da Comissão da Pessoa idosa, onde pudemos contribuir com a criação das leis especificamente para a população da terceira idade. Vale salientar também a participação da Comissão do Idoso da OAB, representações do judiciário, Crea, CRAS e Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social do município”, disse.

Além de zelar pela qualidade de vida e segurança dos idosos da capital, o Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa Idosa tem a função de fiscalizar e orientar os gastos e acompanhar as prestações de contas das instituições da cidade, que recebem recursos orçamentários e financeiros do Município. No último levantamento feito pelo Conselho, há cerca de 600 pessoas residentes nas ILPIS (Instituições de Longa Permanência para Idosos).

Mais matérias
desta edição