app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5712
Cidades

Fotógrafos de caminhadas de rua eternizam momentos de superação

Diante do cenário paradisíaco de Maceió, profissionais capturam a energia dos corredores

Por Tatianne Brandão | Edição do dia 04/05/2024 - Matéria atualizada em 04/05/2024 às 04h00

No calçadão ensolarado da orla de Maceió, no encontro do mar e a areia, um trio de fotógrafos está prestes a iniciar mais um dia de trabalho, com o belo pôr do sol compondo o cenário perfeito para um dia de corrida na orla da capital. Yuri Cedrim, Frank Bernado e Kayo Phellipe são três apaixonados pela arte de capturar a energia das corridas de rua, eternizando os momentos de superação dos atletas. Não são apenas nas corridas profissionais. Eles retratam o dia a dia de centenas de amantes do esporte.

Para Yuri Cedrim, a jornada na fotografia esportiva começou em 2015, impulsionada por uma parceria com Maivan Fernández, um mentor que o inspirou a explorar esse nicho emocionante da fotografia. “Foi uma oportunidade que mudou minha vida”, relembra Yuri, enquanto ajusta sua câmera para mais um dia de trabalho na orla de Maceió.

Já Frank Bernado, veterano de 15 anos na profissão, encontrou na fotografia esportiva uma forma de registrar a descontração e a determinação dos corredores durante os treinos. “Cada dia é uma surpresa diferente”, comenta Frank.

E então, há Kayo Phellipe, o mais recente na profissão, com apenas 3 anos de experiência, mas já imerso na dinâmica das corridas de rua. “Comecei a fotografar para testar uma câmera e acabei me apaixonando pela fotografia”, conta, com entusiasmo.

Comercializando suas fotos através da plataforma online Foco Radical, os três fotógrafos têm a liberdade de capturar não apenas as corridas oficiais, mas também os treinos dos corredores pela orla da cidade. “É uma jornada de amizade e motivação onde posso vender as fotos on-line com uma maior facilidade, graças a busca por detecção facial, e maior alcance também. Assim, acabo fotografando corridas oficiais da plataforma e também fecho parceria com algumas empresas desse nicho.”, diz Yuri.

Trabalhando por conta própria, os três enfrentam os desafios da profissão com determinação e criatividade. “Para mim, hoje é uma coisa muito comum e rotineira. Posso afirmar que fiz grandes amizades através da foto esportiva e sempre é motivador encontrar alguns clientes fiéis que, ao me encontrar, ficam felizes em serem fotografados e acabam fazendo as poses inusitadas e muito criativas.”, afirma Yuri, enquanto Frank complementa: “É uma jornada de amor e dedicação, onde cada click é uma história a ser contada.”

Equipados com câmeras de alta velocidade e lentes versáteis, os fotógrafos enfrentam os elementos da natureza para capturar o momento perfeito. “Eu costumo sempre dizer que o melhor equipamento é aquele que a gente tem à nossa disposição. Inovar, ser ousado, e dominar o nosso equipamento é o dever básico de qualquer Fotógrafo Esportivo. Hoje, posso dizer que tenho os equipamentos que sempre quis ter, mas se eu não tivesse começado com equipamentos básicos à época, não teria a experiência que tenho hoje. Começar do básico, foi essencial para minha construção profissional!”, relata.

“As melhores fotos, muitas vezes, não são as fotos que possuem uma estética perfeita, mas aquelas que são clicadas no momento perfeito. Para isso, é realmente um exercício de observação e sensibilidade. Eu por exemplo, não procuro fazer uma foto bonita, mas uma foto que transmita o sentimento e a sensação vivida naquele momento, seja da comemoração de cruzar a linha de chegada ou da expressão facial de dor do atleta durante a prova”, completa.

Mais matérias
desta edição