app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5751
Cidades

Julho Verde alerta para câncer de cabeça e pescoço

Campanha busca conscientizar a população sobre a prevenção e o combate

Por Tatianne Brandão | Edição do dia 03/07/2024 - Matéria atualizada em 03/07/2024 às 04h00

A campanha “Julho Verde” é uma iniciativa importante para conscientizar a população sobre a prevenção e o combate ao câncer de cabeça e pescoço. Este tipo de câncer engloba uma variedade de órgãos, incluindo olho, língua, lábios e nariz. Também é uma oportunidade valiosa para reforçar a importância do diagnóstico precoce e tratamento adequado, contribuindo para a redução do número de casos e para a melhoria da qualidade de vida dos pacientes.

Segundo a cirurgiã de cabeça e pescoço Ana Carolina Pastl, os tumores podem se manifestar em diferentes locais, sendo os mais comuns a pele, com cerca de 220.000 casos previstos para 2024, seguidos pela tireoide, cavidade oral e linfonodos cervicais. Outros locais destacados incluem a laringe e a faringe.

“É sempre importante manter-se atento para os sinais de alerta. São eles quem nos chamam a atenção para a necessidade de procurar um médico. Os sinais variam de acordo com o local da lesão mas, pensando-se nos mais frequentes, podemos orientar: 1- observar feridas na pele, lábios ou boca que não cicatrizam; 2- nódulos no pescoço ou rosto que aparecem e não diminuem, que são dolorosos; 3- tosse com escarro sanguinolento; 4- rouquidão que não melhora; 5- falta de ar; 6- dificuldade ou dor para deglutir os alimentos; 7- perda de peso rápida associada ou não a cansaço e febre.”

O diagnóstico precoce é crucial para o sucesso do tratamento, mas o acesso ao especialista em cirurgia de cabeça e pescoço pode ser demorado. “O diagnóstico nem sempre é difícil, mas o acesso dos pacientes ao especialista em cirurgia de cabeça e pescoço não é tão fácil. Por isso, se torna importante procurar um médico generalista inicialmente ou um dentista que possa ajudar no início do processo, para que possam ser encaminhados. O rastreio da doença está associado aos sinais e sintomas, mas também aos fatores de risco”, explica.

Entre os principais fatores de risco para os cânceres de cabeça e pescoço estão a exposição solar, tabagismo e consumo de álcool. Outros fatores incluem má higiene dentária, uso de próteses dentárias mal adaptadas, alimentação pobre em legumes e verduras, sexo oral sem preservativo (devido à exposição ao vírus HPV).

O tratamento varia conforme o local e o estágio da lesão, como explica a especialista. “Vai depender do local da lesão e do estágio em que ela se encontra ao diagnóstico. Se identificado em estágio inicial, por muitas vezes, o tratamento cirúrgico exclusivo é resolutivo (como nos tumores de pele). Se em estágio mais avançado, podemos associar a cirurgia a outras modalidades terapêuticas como quimioterapia e radioterapia. Então, quanto maior o estágio, maior a lesão e maior a complexidade do tratamento”, afirma a médica, que reforçou que a prevenção pode ser alcançada com hábitos saudáveis.

Mais matérias
desta edição