app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Cláudio Humberto

Confira os destaques da política nacional #CH14102020

.

Por Cláudio Humberto | Edição do dia 14/10/2020 - Matéria atualizada em 13/10/2020 às 22h40

Foto: Divulgação
 

PODER SEM PUDOR: Mentir não pode

A então deputada Maria Conceição Tavares (PT-RJ) debatia um pacote fiscal do governo FHC com o colega baiano Benito Gama, na TV Câmara, quando de repente ela perdeu a paciência e aplicou um dolorido tabefe nas costas do adversário. Diante do perplexo apresentador, Luiz Augusto Gollo, e de um Benito assustado, a deputada luso-brasileira gritou, bem ao seu estilo: “Não mintas, ó Benito, isto é uma deslavada mentira!” Por pouco o debate não acaba nas mãos da segurança.


Trabalho no recesso é jogada para tentar reeleição

O conchavo para convocar o Congresso durante o recesso nada tem com o súbito interesse de mostrar serviço, nem muito menos aprovar reformas. Trata-se de uma jogada para acrescentar 40 dias “úteis” às presidências de Davi Alcolumbre e Rodrigo Maia no Senado e Câmara, dando-lhes mais tempo para “articular” a alteração da Constituição a fim de se reelegerem. A ideia é votar a proposta em meio às festas de fim de ano, quando as atenções não estarão voltadas para o Congresso.


Mais 40 dias à dupla

O recesso de fim de ano começa em 23 de dezembro e acaba em 1º de fevereiro, quando Senado e Câmara elegerão seus novos dirigentes.


Só pensam naquilo

Restam aos desesperados Alcolumbre e Maia uma centena de dias como presidentes. O problema é que não têm os votos necessários.


Constituição proíbe

A reeleição dos membros das mesas diretoras na mesma legislatura é expressamente proibida pela Constituição, daí a “armação” da dupla.


Falta respaldo

Alcolumbre e Maia ainda não sondaram líderes. Nem adiantaria: “Não vejo respaldo para isso”, diz o Líder do Progressistas, Arthur Lira (AL).


Reforma trabalhista inibe as ações oportunistas

A reforma trabalhista foi diretamente responsável pela queda de 32% no número de ações movidas na Justiça do Trabalho apenas excluindo “ações temerárias e infundadas” que deixaram de tramitar. A avaliação é dos fundadores do Instituto Aja, o juiz federal Carlos Haddad e Luís Pedrosa, que destacam a celeridade promovida pela mudança e o fim do incentivo para as “pessoas que buscam o enriquecimento ilícito”.


Oportunistas longe

Pedrosa lembra que a reforma não coagiu profissionais de buscarem a Justiça, mas os priorizou, reduzindo “o número de casos oportunistas”.


Agilidade e transparência

Carlos Haddad considera que, além da agilidade, o processo ficou “mais transparente, tanto para empresas, quanto para trabalhadores”.


Dá para melhorar

Segundo o TST, os 2,2 milhões de processos em curso em 2017, antes da reforma, caíram para 1,5 milhão depois de um ano de vigência da lei


‘Cabo eleitoral’ de primeira

As divergências entre os ministros Luiz Fux e Marco Aurélio são apenas circunstanciais. Quando presidente do STF, Marco Aurélio foi o principal “cabo eleitoral” da indicação de Fux ao Superior Tribunal de Justiça.


A lei é boa

Para o criminalista Antônio Carlos de Almeida Castro, Kakay, o traficante André do Rap não deveria ser solto, é um perigo para a sociedade, mas a lei que o beneficiou é bem-vinda e extremamente necessária em um País onde um terço dos seus 800 mil presos não têm culpa formada.


Tempestade perfeita

O senador Major Olímpio (PSL-SP) avalia que uma “tempestade perfeita” favoreceu André do Rap. Para ele, erraram o legislador, a polícia que não monitorou o bandidão, o ministério público e, claro, a Justiça.


Quase parando

Esvaziada desde a última quinta-feira (8), a Câmara dos Deputados só vai retomar votações no próximo dia 20, segundo a agenda da Presidência da Casa. E tudo por sessão virtual de votações, claro.


Só com pessoal

Segundo cálculos da ONG Contas Abertas, mais de 80% de todo o Orçamento do Congresso Nacional é gasto com o pagamento da folha de pessoal ou de encargos sociais: são mais de R$ 8 bilhões por ano.


Licença para mentir

Sindicalistas mentem nos meios de comunicação de Brasília, em rica campanha publicitária contra a privatização da estatal de energia CEB, aquela que paga absurdos como “auxílio-babá” e salários de até R$300 mil a engenheiros. A pelegada parece autorizada a difundir fake news.


Não na nossa conta

O relacionamento entre os deputados João Campos (PSB) e Tábata Amaral (PDT) colocou ambos em ponte aérea frequente, entre São Paulo e Recife, mas ao contrário de outros parlamentares, sem o uso do cotão.


Quase esquentou

Completa 58 anos este mês a Crise dos mísseis de Cuba, talvez o episódio mais tenso da Guerra Fria, quando a União Soviética tentou implantar mísseis nucleares balísticos na ilha comunista do Caribe.


Pensando bem...

...graças à própria inércia em reformar o regimento, Maia deve notificar deputados sobre a convocação durante o recesso... por telegrama.

JOSÉ ALEXANDRE, Presidente das Indústrias Reunidas Coringa, comemorou no último domingo mais um ano de vida, recebendo os parabéns pela passagem do seu dia e também pela contribuição para fortalecer a economia do estado
JOSÉ ALEXANDRE, Presidente das Indústrias Reunidas Coringa, comemorou no último domingo mais um ano de vida, recebendo os parabéns pela passagem do seu dia e também pela contribuição para fortalecer a economia do estado - Foto: Divulgação
 


Mais matérias
desta edição