app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5715
Coluna Religião

COMO ERA SÃO LUCAS

...

Por Mons. Pedro Teixeira Cavalcante/ Teólogo | Edição do dia 05/11/2022 - Matéria atualizada em 05/11/2022 às 04h00

São Lucas nasceu em Antioquia, na Síria antiga. Foi médico, pintor, literato. Convertido ao cristianismo, tornou-se discípulo e companheiro do apóstolo Paulo, que o chama de “Médico querido”. Em um determinado momento da prisão de Paulo, Lucas foi o único a lhe fazer companhia. (2 Tm 4,11) 

Antes de Lucas já havia os evangelhos de Mateus e Marcos, mas ele decidiu fazer um relato ordenado, depois de uma pesquisa cuidadosa (Lc 1,1-4). E Lucas deixou na sua obra o retrato de seu espírito maravilhoso. Com efeito, lendo e comparando o evangelho de Lucas com os demais evangelhos, descobrimos o espírito que animava nosso evangelista.  

Com relação a Jesus, a grande preocupação de São Lucas é mostrá-lo como Homem-Deus, portanto, cheio de bondade, de misericórdia, de amor, de perdão. Tudo que, segundo o evangelista, não fica bem para um Homem-Deus é eliminado, ou apresentado de uma maneira diferente, ou seja, que condiga com sua dignidade. Por isso, São Lucas é chamado de “evangelista da misericórdia”.  

Com relação aos personagens que aparecem no seu evangelho, também eles são tratados com respeito, com carinho, com atenção, quando eles cometem alguma falta. O evangelista não acoberta as faltas, mas elas são amenizadas na sua gravidade. Deste modo, São Lucas é caridoso e respeitoso com aqueles que erram. 

Vejamos alguns exemplos de como Lucas descreve a paixão de Jesus. Lucas não diz que o sumo sacerdote acusou Jesus de blasfemo, como o faz Marcos (Mc 14,63-64). Também evita a narração de certas atitudes degradantes (cuspir no rosto e dar bofetadas na face de Jesus), como o faz Marcos (Mc 14,65). Lucas elimina as cenas dolorosas e humilhantes da flagelação e da coroação de espinhos. Para Lucas tudo isso era demais para a dignidade divina de Jesus. Enquanto Marcos narra Jesus indo ao Calvário numa grande solidão; Lucas fala de uma multidão que o acompanha, inclusive algumas mulheres. Também o grito dilacerante de Jesus: “Meu Deus, meu Deus por que me abandonastes” (Mc 15,34) não aparece no evangelho de Lucas.  

  Por fim, não podemos deixar de salientar o carinho, o respeito e a atenção de São Lucas para com Maria, a mãe de Jesus. É ele o evangelista da infância de Jesus, da sua anunciação, da visita de Maria a Isabel e do Magnificat da Virgem. 

Podemos, pois, dizer que São Lucas foi grande devoto de Maria e que tinha um coração bondoso, de ouro. Lucas no seu evangelho apresenta um Jesus bondoso, misericordioso.

Mais matérias
desta edição