app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5647
Coluna Religião Evento reuniu cerca de 500 catequistas das três dioceses da Província Eclesiástica de Maceió, no último sábado (18)

ENCONTRO REÚNE VÁRIOS CATEQUISTAS DE DIOCESES

Encontro Provincial das dioceses de Penedo, Palmeira dos Índios e Arquidiocese de Maceió reuniu cerca de 500 participantes na Catedral

Por Maurício Gonçalves/Pascom Arquidiocesana | Edição do dia 25/11/2023 - Matéria atualizada em 25/11/2023 às 04h00

Do Sertão ao Litoral, do Agreste à Zona da Mata, a Boa Nova ecoou pelos quatro cantos de Alagoas. Peregrinos da Esperança partiram de suas paróquias e dos mais distantes rincões dos 102 municípios do Estado para vivenciar o Amor de Cristo em sua plenitude. O Encontro Provincial de Catequese das dioceses de Penedo, Palmeira dos Índios e Arquidiocese de Maceió conduziu cerca de 500 participantes ao solo sagrado da Catedral Metropolitana de Nossa Senhora dos Prazeres, no Centro da Capital, no sábado (18).

Organizado pela Comissão Provincial para Animação Bíblico-Catequética, em parceria com a Livraria Paulus, o evento foi conduzido pela profusão de dons concedidos ao padre Deivid Tavares, da congregação dos irmãos paulinos.

A coordenadora da catequese arquidiocesana, Irmã Cristiane dos Santos, destacou a gratidão a Deus por proporcionar tal momento de unidade na província. “Por estarmos vivendo um tempo de sinodalidade e sentirmos as três dioceses juntas, é uma alegria ao coração porque é um sinal de que estamos com o olhar fixo em Jesus. A nossa meta é Ele, e por Ele estamos aqui reunidos”, disse a freira da congregação das Pobres Filhas da Visitação de Maria.

Com muita música, dinâmicas, celebrações, coreografias, estudos da Teologia e da Sagrada Escritura, a formação com padre Deivid foi além do que se pode chamar de palestra ou curso, transcendeu para dimensão transversal da Catequese e Liturgia. A proposta de um dia formativo, com todo este arcabouço de ferramentas, é fazer algo mais interativo, em que se apreenda como Catequese e Liturgia precisam caminhar juntas.

“No início do cristianismo, eram muito unidas, pensadas pelas primeiras comunidades para ser assim. Mas com o passar do tempo, isso foi se separando e a Igreja hoje, com o Concílio Vaticano II, busca mais uma vez unir Catequese e Liturgia como celebração da fé”, observou o padre, que tem mestrado em Teologia pela PUC-SP, em Liturgia.

O apoio do arcebispo de Maceió, dom Antônio Muniz, e do bispo de Palmeira dos Índios, dom Manoel de Oliveira, com a bênção do bispo de Penedo, dom Valdemir Ferreira, foram essenciais para esta messe produzir novos frutos, entre os catequistas, ministros da Eucaristia, equipes de Liturgia e pastorais presentes.

Todos foram muito bem acolhidos pelo vigário geral da Arquidiocese, monsenhor José Augusto. Como anfitrião da casa, o pároco da Catedral, padre Elison Silva, coordenador de Catequese do Regional NE 2 (AL, PE, PB e RN), destacou a alegria de poder acolher a todos da província e de ver a seriedade dos catequistas, com seu interesse pela formação. “É indispensável a ação litúrgica, como um caminho autêntico de evangelização, como fonte de onde nós experimentamos a Graça de Deus, o nosso ser Igreja. Sem a Liturgia, a Igreja seria um corpo sem alma”, disse.

Mais matérias
desta edição