app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5715
Economia

IGP-M de agosto fecha em alta de 2,32%, a maior em dois anos, aponta a FGV

A alta do dólar fez a inflação medida pelo IGP-M subir para 2,32% em agosto, a maior alta em dois anos, frente à variação de 1,95% registrada no mês anterior, informou a Fundação Getúlio Vargas (FGV). O Índice de Preços por Atacado (IPA), com peso de 60%

Por | Edição do dia 30/08/2002 - Matéria atualizada em 30/08/2002 às 00h00

A alta do dólar fez a inflação medida pelo IGP-M subir para 2,32% em agosto, a maior alta em dois anos, frente à variação de 1,95% registrada no mês anterior, informou a Fundação Getúlio Vargas (FGV). O Índice de Preços por Atacado (IPA), com peso de 60% no IGP-M, subiu 3,20%, contra uma alta de 2,66% em julho. Os maiores impactos vieram de produtos com preços atrelados ao dólar, como soja, óleo diesel, trigo, milho e óleo de soja refinado. O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) ficou praticamente estável, com alta de 0,91 por cento, ante uma elevação de 0,90% no mês anterior. E o Índice Nacional de Custo de Construção (INCC) subiu 0,82%, comparado a uma alta de 0,63% no mês anterior. O IPC tem um peso de 30% e o INCC, 10%. No ano, o IGP-M acumula alta de 7,95% e, em 12 meses, de 11,01%. O IGP-M espelha a variação dos preços coletados entre 21 de julho a 20 de agosto. A continuidade dos efeitos do câmbio nos preços do atacado e entressafra prolongada em alguns itens provocaram a alta do IGP-M de agosto. “A influência principal do resultado da inflação de agosto é o dólar”, disse o economista da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Salomão Quadros. A combinação de dólar e entressafra puxou para cima o Índice de Preços por Atacado (IPA). Além do dólar, o economista considerou que também houve influências significativas em outros itens que não sofreram com o câmbio. É o caso dos bovinos, que tiveram alta de 8,15% no atacado, devido a uma entressafra prolongada. Segundo Quadros, o inverno ameno está permitindo que os pecuaristas mantenham o gado no pasto por mais tempo, aumentando o preço do produto. Ainda no âmbito do IPA, os produtos agrícolas tiveram alta de 4,7% em agosto, patamar semelhante ao registrado no IGP-M de julho, quando esses itens tiveram avanço de 4,67%.

Mais matérias
desta edição