app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5718
Economia

Crise pode levar com�rcio a reduzir credi�rio

O consumidor de Maceió pode perder um dos mais importantes instrumentos para concretização das suas compras: o crediário tradicional, aquele que funciona mediante pagamento de várias prestações em carnês e boletos. A crise financeira instalada no País e o

Por | Edição do dia 08/09/2002 - Matéria atualizada em 08/09/2002 às 00h00

O consumidor de Maceió pode perder um dos mais importantes instrumentos para concretização das suas compras: o crediário tradicional, aquele que funciona mediante pagamento de várias prestações em carnês e boletos. A crise financeira instalada no País e o desfavorável quadro econômico com ameaça iminente de aumento do desemprego têm levado os lojistas da capital a planejarem a redução em até 50% do número de parcelas do crediário, a ferramenta mais utilizada pelos estabelecimentos para facilitar a compra, principalmente pelas pessoas de baixa renda. Segundo o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), Wilson Barreto, os comerciantes de Maceió não conseguirão manter o crediário inalterado por muito tempo. A exemplo do que está ocorrendo em outras regiões do País, a escassez de linhas de crédito, a diminuição dos prazos pelos fornecedores e a restrição do crédito pelas financeiras vão obrigá-los a encurtar o crediário. O comércio varejista, que na capital alagoana geralmente financia suas mercadorias em até dez prestações, pode reduzir este prazo pela metade. Fechamento A medida impopular fechará o crédito para os consumidores da classe média. Hoje, as vendas realizadas através de crediários correspondem a mais de 65% do volume total efetuado e são, talvez, a única opção de financiamento para as pessoas que não dispõem de cartão de crédito e cheque. Mesmo para quem vive uma situação financeira mais cômoda, o crediário representa uma alternativa segura de planejamento do orçamento doméstico. Wilson Barreto lembra que num passado recente o financiamento das mercadorias no comércio varejista de Maceió era feito em até 32 prestações no crediário. “Hoje, raramente o prazo é esticado para além de dez meses. Poucas lojas conseguem dividir o financiamento em 15 vezes, e se faz é usando crediário próprio” informa.

Mais matérias
desta edição