app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5750
Economia

Po�o de petr�leo amea�a reserva ambiental

MOZART LUNA Sucursal Gazeta – Os empresários que desenvolvem o trabalho de ecoturismo na Praia do Peba em Piaçabuçu, a 188 quilômetros de Maceió, denunciaram através da Organização Não-Governamental (ONG) Jacaré-do-Papo-Amarelo o abandono de um antigo

Por | Edição do dia 08/09/2002 - Matéria atualizada em 08/09/2002 às 00h00

MOZART LUNA Sucursal Gazeta – Os empresários que desenvolvem o trabalho de ecoturismo na Praia do Peba em Piaçabuçu, a 188 quilômetros de Maceió, denunciaram através da Organização Não-Governamental (ONG) Jacaré-do-Papo-Amarelo o abandono de um antigo poço de exploração de petróleo da Petrobras dentro da Área de Preservação Ambiental (APA), que se encontra em péssimo estado de conservação, oferecendo risco de acidente e conseqüentemente danos ao meio ambiente. Segundo Robério Ramos, há uma “árvore de natal”, que é uma espécie de válvula, em cima de um antigo poço e uma tubulação que cruza toda a APA, passando pelas dunas. “Não existe nenhuma sinalização ou aviso para evitar que curiosos mexam no aparelho ou resolvam até mesmo retirá-lo”, declarou o ambientalista, que reside em Piaçabuçu e faz parte da ONG Jacaré-do-Papo-Amarelo. Segundo Robério, o local fica dentro da APA bem próximo às dunas e a 300 metros da praia. “Não existe sequer uma cerca para evitar que o equipamento seja delapidado. Todo cuidado é pouco, principalmente se tratando de uma área de preservação ambiental, onde está localizado um poço de exploração de petróleo da Petrobras, cujos acidentes têm causado danos ao meio ambiente”, disse ele, lembrando o caso ocorrido em Goiás na década de 80, quando um dono de ferro-velho resolveu abrir com uma marreta um equipamento de raios X. “Quantos morreram devido à negligência de quem deveria fiscalizar, onde estava o equipamento de raios X. Hoje ainda há dezenas de pessoas sofrendo com as seqüelas. Nós não queremos um acidente desse aqui e por isso estamos comunicando o fato à chefia da APA e ao Ibama, assim como as autoridades constituídas”, disse o ambientalista que trabalha com grupos de ecoturismo. Petrobras O gerente do ativo da Petrobras em Alagoas, Manoel Fernando, disse que o poço existente dentro da Área de Preservação Ambiental (APA) está inativo e que a tubulação existente está isolada cheia de hidrogênio, que é um gás inerte e por isso acredita que não oferece perigo. Ele descarta a possibilidade de alguém tentar retirar a “árvore de natal”. “Esta possibilidade é remota”, afirma ele, acrescentando que existem muitos poços naquela situação. “Cogitar uma possibilidade dessas é fugir da tangente”, aposta Manoel Fernando. Entretanto, o gerente do ativo restringe a dizer que no caso do acidente poderia haver o escapamento de gases, mas que o poço está inertizado. Com relação à colocação de equipamento de segurança o gerente do ativo da Petrobras em Alagoas disse que tudo que a Petrobras fez no local foi sob a fiscalização do Ibama. “Aquela área é de preservação ambiental e tem gente fiscalizando”, afirma ele. Segundo o gerente do Ativo da empresa, até agora não foi colocada nenhuma cerca de proteção ou placa de sinalização porque o local é de “agressividade”, devido às dunas que poderiam encobrir a sinalização. Para Manoel Fernando tudo está dentro das normas de segurança da Petrobras e que o equipamento está em boas condições e não oferece riscos. ANP O poço existente dentro da Área de Preservação Ambiental (APA) na Praia do Peba em Piaçabuçu é o PIA – 23, que foi desativado em agosto de 98 e entregue à Agência Nacional de Petróleo para comercialização. Até o momento, segundo Manoel Fernando, gerente do ativo da Petrobras em Alagoas, a ANP não se pronunciou o que faria com o PIA-23. Enquanto isso a Petrobras continua responsável pela manutenção da segurança e fiscalização do poço, disse ele, garantido que há periodicamente fiscalização e trabalhos de manutenção no poço localizado na reserva ambiental. Ibama O superintendente executivo do Ibama em Alagoas, Fernando Soares, disse que estará solicitando à Petrobras e à chefia da APA do Peba, relatórios sobre a situação do poço PIA –23, existente dentro da Área de Preservação Ambiental. “Nós já tínhamos conhecimento da existência daquele “resíduo” dentro da APA do Peba, mas ainda não sabemos das condições em que se encontra, por isso estarei solicitando à chefia da APA um relatório completo da situação”, disse ele, acrescentando que amanhã haverá um seminário em Piaçabuçu sobre meio ambiente e que irá aproveitar o evento para colocar o assunto em pauta. Fernando Soares adiantou ainda que já determinou a colocação de sinalização em toda extensão da APA para alerta aos freqüentadores que o local faz parte de uma área de preservação ambiental. O chefe da APA, Bruno Cabral, disse que tinha conhecimento da existência do poço na Área de Preservação, mas que não sabia das condições do equipamento. Cabral disse que iria até o local na sexta-feira verificar a situação e depois se reunir com representantes da Petrobras e do Ibama para discutir o assunto.

Mais matérias
desta edição