app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5714
Economia

D�lar volta a cair e fecha cotado a R$ 3,106

São Paulo - O dólar comercial fechou ontem em baixa de 0,98%, cotado a R$ 3,103 na compra e R$ 3,106 na venda. O primeiro aniversário dos atentados de 11 de setembro foi tranqüilo e trouxe alívio aos investidores, que operaram com mais calma. A quarta-fei

Por | Edição do dia 12/09/2002 - Matéria atualizada em 12/09/2002 às 00h00

São Paulo - O dólar comercial fechou ontem em baixa de 0,98%, cotado a R$ 3,103 na compra e R$ 3,106 na venda. O primeiro aniversário dos atentados de 11 de setembro foi tranqüilo e trouxe alívio aos investidores, que operaram com mais calma. A quarta-feira foi de negócios reduzidos, como já era previsto para um dia de expectativas. A moeda americana abriu em alta, mas inverteu a tendência logo em seguida, com os índices futuros das bolsas americanas indicando alta na abertura daqueles mercados. As bolsas em Wall Street sustentaram a alta na maior parte do dia e favoreceram o bom desempenho dos mercados por aqui. Na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), os juros futuros acompanharam a tendência do dólar e se ajustaram para baixo. O Depósito Interfinanceiro (DI) de janeiro de 2003, o mais negociado, projetou no último negócio taxa anual de 20,35%, contra 20,43% do fechamento anterior. “Os mercados de um modo geral tiveram um volume restrito de negócios e eu acredito que já estavam todos posicionados para enfrentar o dia. Apesar de tudo foi bem tranqüilo”, avaliou Daniel Szikszay, gerente de câmbio do Banco Schahin. Bolsa A Bolsa de Valores de São Paulo passou bem pelo primeiro aniversário dos atentados aos Estados Unidos e fechou com alta expressiva, ultrapassando os 10.000 pontos, embora com baixo volume de negócios. Nem mesmo a virada na Bolsa de Nova York, que entrou no terreno negativo no final do pregão, conseguiu derrubar os preços no mercado local. “O dia abriu com forte influência das bolas européias, que estavam em alta. Como não aconteceu nada de grave no decorrer do dia, a apreensão com o 11 de setembro diminuiu um pouco”, explicou o diretor de renda variável do BNP Asset Management, Jacopo Valentino. O Ibovespa fechou com alta de 2,23%, a 10.182 pontos. Desde o último dia 3, o índice vinha ficando abaixo desse patamar. Durante o dia, o indicador chegou a subir 2,89%, na máxima, e a recuar ligeiro 0,07%, na mínima. Com o atraso de duas horas e meia na abertura dos negócios em Nova York, por causa das homenagens às vítimas do atentado, o volume financeiro na Bovespa acabou sendo muito pequeno.

Mais matérias
desta edição