app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5750
Economia

Pre�o do petr�leo fecha em alta de 3,43% em NY

Depois de um dia de recuo de preços na quinta-feira, após o presidente americano, George W. Bush, conceder tempo ao Iraque para o cumprimento de determinações da ONU, as cotações do petróleo voltaram a subir ontem, diante da recusa de Bagdá em aceitar inc

Por | Edição do dia 14/09/2002 - Matéria atualizada em 14/09/2002 às 00h00

Depois de um dia de recuo de preços na quinta-feira, após o presidente americano, George W. Bush, conceder tempo ao Iraque para o cumprimento de determinações da ONU, as cotações do petróleo voltaram a subir ontem, diante da recusa de Bagdá em aceitar incondicionalmente inspeções de armas de técnicos das Nações Unidas no País. O barril do petróleo tipo Brent para entrega em outubro fechou a US$ 28,31, alta de 2,09% em relação aos US$ 27,73 do encerramento de quinta-feira. Em Nova York, o barril de óleo cru também para entrega em outubro encerrou em US$ 29,84, elevação de 3,43% diante dos US$ 28,85 do dia anteiror. O vice-primeiro-ministro iraquiano, Tareq Aziz, rejeitou hoje a volta incondicional de inspetores de armas da Organização das Nações Unidas (ONU) exigida pelos Estados Unidos, alegando que a iniciativa não impediria os projetos militares norte-americanos em seu país. “O retorno de inspetores sem condições não resolverá o problema porque tivemos uma experiência ruim com eles. É inteligente repetir uma experiência que não foi bem-sucedida e não impediu a agressão?”, questionou Aziz em entrevista à rede de TV árabe MBC, com sede em Dubai. Na quinta, Bush exigiu, entre outras questões, a aceitação incondicional pelo Iraque dessas inspeções da ONU como condição para que não haja intervenção militar naquele país.

Mais matérias
desta edição