app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5710
Economia

Advogado critica aumento da presta��o da casa pr�pria

WELLINGTON SANTOS O presidente da Cooperativa Nacional da Habitação em Alagoas, advogado Lincoln Fernandes, criticou o aumento de 5,72% que o Sistema Financeiro da Habitação (SFH) quer incidir sobre as prestações da casa própria já no mês de setembro. “T

Por | Edição do dia 15/09/2002 - Matéria atualizada em 15/09/2002 às 00h00

WELLINGTON SANTOS O presidente da Cooperativa Nacional da Habitação em Alagoas, advogado Lincoln Fernandes, criticou o aumento de 5,72% que o Sistema Financeiro da Habitação (SFH) quer incidir sobre as prestações da casa própria já no mês de setembro. “Trata-se de um absurdo porque os trabalhadores em geral não receberam aumento em suas respectivas categorias funcionais”, salienta. Lincoln explicou, por exemplo, que os funcionários públicos tiveram um aumento de apenas 3% no começo deste ano em seus vencimentos que foram automaticamente repassados à prestação, e agora receberão um reajuste de mais 5,72% aleatórios, “isso quer dizer que só este ano eles vão ter um acumulado de aumento na ordem de 8,72% em menos de um ano em suas prestações, o que é absolutamente absurdo”, critica. O advogado disse ainda que o Sistema Financeiro da Habitação atualmente vem destoando da finalidade social a que está destinado e a que foi criado, porque, explica Lincoln, com esse novo aumento aleatório incidirão juros de 12% anuais que, se somados, darão quase 20% em 1 ano, enquanto o funcionário público e as demais categorias não têm esse rapasse em seus salários, como consta no contrato. Para tentar minimizar a situação, Lincoln disse que foi encontrada uma alternativa no sentido de facilitar a aquisição da casa própria através do sistema de cooperativa. Ele explica que a pessoa interessada em adquirir um imóvel faz a inscrição na cooperativa através de créditos que vêm do próprio interessado, com grupos de cem pessoas. “Uma pessoa que quer um crédito de R$ 10mil, por exemplo, para adquirir um imóvel qualquer de sua escolha, junta-se a um grupo de cooperados que tenham o objetivo comum em adquirir um no mesmo valor. Então ele contribui mensalmente, nesse caso, com 128 reais, sem incidência de juros”, explica. No caso de uma pessoa que quer adquirir um imóvel no valor de R$ 10 mil, Lincoln diz que o valor real da prestação é R$ 100, os R$ 28 excedentes são referentes a um seguro por morte ou invalidez e o seguro-inadimplência, caso um dos cooperados deixe de saldar seu vencimento. Os créditos na cooperativa variam de 5 mil a 50 mil reais, com grupos fixos de cem pessoas. O crédito pode ser adquirido também para casos de reforma de casas, que funciona no mesmo processo para quem quer adquirir um imóvel em Alagoas - o sistema funciona na Avenida Moreira e Silva, no bairro do Farol.

Mais matérias
desta edição