app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5751
Economia

Cana: Petrobras tem 4 dias para pagar subs�dio

A contagem, agora, parece ser de fato regressiva. Ontem a Agência Nacional do Petróleo publicou, no Diário Oficial da União, despacho determinando que a Petrobras deposite, em até quatro dias úteis, R$ 330,40 milhões na agência do Banco do Nordeste no Rio

Por | Edição do dia 21/09/2002 - Matéria atualizada em 21/09/2002 às 00h00

A contagem, agora, parece ser de fato regressiva. Ontem a Agência Nacional do Petróleo publicou, no Diário Oficial da União, despacho determinando que a Petrobras deposite, em até quatro dias úteis, R$ 330,40 milhões na agência do Banco do Nordeste no Rio de Janeiro para “pagamento das subvenções relativas ao Programa de Equalização de Custos de Produção da Cana-de-açúcar para a Região Nordeste”. Ainda segundo a ANP, os beneficiários e respectivos valores de subvenções da equalização (subsídio) da cana serão indicados pelo Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa), através do site na Internet www.agricultura.gov.br. Na prática, o despacho significa um dos últimos atos no longo processo de pagamento do subsídio da cana, que se arrasta há mais de três anos. A medida deve beneficiar cerca de 90 indústrias de açúcar e álcool e 13 mil fornecedores de cana de todo o Nordeste. Alagoas ficará com a maior parte dos recursos. Estima-se que pelo menos cerca de 40% ou 130 milhões deste total venham para o Estado. Pelo menos cinco mil fornecedores de cana de Alagoas serão beneficiados com o subsídio. A Associação dos Plantadores de Cana (Asplana) comemora a publicação e acredita que os recursos dos seus associados – estimados em R$ 33 milhões – poderão ser transferidos já na próxima sexta-feira. “Estamos chegando ao fim de uma longa espera. Foram mais de três anos de luta e de angústia, de muitas viagens a Brasília, de pressões e incansáveis negociações. Mas, acredito, valeu a pena”, afirma Edgar Antunes, presidente da Asplana. Na quinta-feira, como a GAZETA DE ALAGOAS tinha antecipado, as indústrias do setor no Estado receberam parte do saldo da equalização, referente à produção de álcool da safra 97/98. No total, o Ministério da Agricultura liberou cerca de R$ 42 milhões, sendo que R$ 27 milhões foram efetivamente repassados para as indústrias e o restante dos recursos está bloqueado na Justiça. As usinas e destilarias alagoanas receberam cerca de R$ 20 milhões, estimam os técnicos e dirigentes do Sindicato da Indústria do Açúcar e do Álcool (Sindaçúcar).

Mais matérias
desta edição