app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5757
Economia

Exposi��o comemora primavera e mostra �rvore-s�mbolo de Alagoas

GABRIELA FLORES A partir de amanhã, os interessados em conhecer um pouco mais sobre o pau-brasil, árvore que deu origem ao nome de nosso País e também sobre a Craibeira, que depois do decreto Nº 6.239, de 29 de abril de 1985, tornou-se a árvore-símbolo

Por | Edição do dia 22/09/2002 - Matéria atualizada em 22/09/2002 às 00h00

GABRIELA FLORES A partir de amanhã, os interessados em conhecer um pouco mais sobre o pau-brasil, árvore que deu origem ao nome de nosso País e também sobre a Craibeira, que depois do decreto Nº 6.239, de 29 de abril de 1985, tornou-se a árvore-símbolo de Alagoas, poderão apreciar uma exposição que acontece no Shopping Farol. O evento é organizado pelo Instituto Brasileiro de Recursos Naturais Renováveis (Ibama-Al). A exposição, que acontece no mês da primavera, também serve como alerta para uma esclarecimento sobre o Dia da Árvore, uma vez que esta data comemorativa não existe oficialmente, ou seja não há legislação específica. O Decreto nº 55.795, de 24 de fevereiro de 1965, instituiu a Festa Anual das Árvores, que é comemorada nos Estados do Sul, Sudeste e Centro-Oeste. Já os Estados do Norte e Nor-deste e Fernando de Noronha festejam na última semana de março. Para acabar com a confusão no calendário, o Ibama está tramitando documentos onde pretende unificar as comemorações em restrições de região e instituir a “Semana Florestal”, comemorando-se em todo o País no dia 21 de setembro, quando começa a primavera. Pau-brasil Formando um mar verde em nossas florestas, o pau-brasil dominava toda a terra de Vera Cruz ou Santa Cruz, que pouco depois passou a denominar-se Brasil. Desse gigante tudo se aproveitava. Seu tronco forte e maciço era utilizado na construção de habitações, como lenha, em barcos e outros elementos e utensílios da época. O colorante extraído do lenho denominado de brasileína possui uma cor levemente avermelhada, qualidade muito utilizada na escrita e na tintura de tecidos. Explorado indiscriminadamente pelos portugueses e pelos franceses, o comércio de pau-brasil fez desaparecer cerca de seis mil quilômetros quadrados de floresta. Atualmente em Alagoas, em matas remanescentes, ainda podemos encontrar alguns pontos com pau-brasil. O Ibama/AL, encontrou em Coruripe uma significativa ocorrência de pau-brasil. Devido ao seu grande valor botânico e ecológico, esta área foi reconhecida como Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN). Em média, a área possui cerca de 800 hectares, com exemplares em diversos estágios de crescimento. Dentre as mais significativas reservas de pau-brasil do País, a sede do Ibama/AL, com 7.500 árvores plantadas, é considerada a terceira área mais importante, e assim como a área encontrada em Coruripe figura entre as principais reservas naturais remanescentes de ocorrência de pau-brasil no País. Craibeira Procedente do Semi-Árido, a Craibeira ou Craíba, foi instituída como árvore-símbolo de Alagoas, em abril de 1985. Com flores de uma coloração amarelo forte, a Craibeira representa uma determinante de importância para as comunidades de pescadores que vivem às margens do Rio São Francisco, uma vez que sua madeira é utilizada na construção de canoas. Nos meses de novembro e dezembro, por causa da plenitude de suas flores amarelas, as Craibeiras se destacam-se onde estejam. Naturalmente adaptada à Zona da Mata ou ao Litoral, nossa árvore-símbolo pode ser apreciada em diversas ruas de nossa capital. Em 1865, o agricultor Manoel Nunes da Silva Santos adquiriu uma propriedade e, por causa da imensa quantidade de Craibeiras que existiam, denominou o local de Craíbas. Com o passar dos anos a propriedade foi crescendo e se desenvolvendo até que em 1962, por intermédio da Lei Nº 2471, Craíbas tornou-se município. Depois desse dia muita confusão ainda aconteceu até que finalmente em dezembro de 1979, finalmente Craíbas tornou-se independente.

Mais matérias
desta edição