app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5750
Economia

A��car sobe em NY e exporta��o ser� de R$ 680 mi

Edivaldo Junior A safra de cana-de-açúcar começou, efetivamente, em Alagoas. A partir da última semana, todas as indústrias – usinas e destilarias – começaram a operar plenamente. As expectativas são cada vez mais otimistas. Se por um lado se mantém a p

Por | Edição do dia 22/09/2002 - Matéria atualizada em 22/09/2002 às 00h00

Edivaldo Junior A safra de cana-de-açúcar começou, efetivamente, em Alagoas. A partir da última semana, todas as indústrias – usinas e destilarias – começaram a operar plenamente. As expectativas são cada vez mais otimistas. Se por um lado se mantém a previsão de uma produção de 25 milhões de toneladas (o que significaria a repetição da safra 2000/01), a recuperação dos preços do açúcar na bolsa de Nova Iorque estão elevando razoavelmente as estimativas de faturamento. Há 15 dias, a cotação do açúcar demerara em NY era de cerca de 6,2 centavos de dólar por libra peso. Agora, a cotação subiu para aproximadamente 7 centavos de dólar. Na prática, isso significa que a tonelada do produto subiu de US$ 138 para US$ 156, uma alta de 13,04% em duas semanas. Comemorada pelo setor sucroalcooleiro alagonao, a elevação já era aguardada e é resultado da consolidadação da safra do Centro-Sul, que está entrando, agora, na sua fase final. “Hoje sabemos que o Centro-Sul vai produzir entre 265 milhões e 267 milhões de toneladas de cana. No início da colheita, havia uma expectativa de uma produção acima de 280 milhões de toneladas. Com esse volume, o mercado mundial sabe que não haverá oferta excedente do açúcar e os preços estão começando a se recuperar”, analisa o presidente do Sindicato da Indústria do Açúcar e do Álcool de Alagoas Sindaçúcar -AL), Jorge Toledo. Mantido esse valor e considerando o dólar de sexta-feira, o faturamento de Alagoas com as exportaçõees de açucar subiria de R$ 570 para R% 680 milhões. O Estado, estima o Sindiaçùcar e a subsidiária da Cooperativa Regional dos Produtores de Açúcar e Álcool de Alagoas, a Coopeertranding, deve exportar mais de 1,3 milhão de toneladas de açúcar na safra 02/03, podendo quebrar um recorde histórico do setor. O mercado interno também é promissor. Os preços, tanto do açúcar, quanto do álcool, devem se recuperar no País, com o fim da safra do Centro-Sul. “Eu diria que a tendência, hoje, é de recomposição. Os preços cairam porque se acreditava numa produção que não vai acontecer. Agora, portanto, o mercado está refazendo suas análises e os preços estão se recuperando lentamente. No entanto, é bastante interessante observar que embora lenta, a recuperação é constante”, aponta Toledo. Números A safra de cana de açúcar 02/03 vai gerar mais de 120 mil empregos diretos em Alagoas. Destes, cerca de 90 mil são empregos na área agrícola – principalmente no corte de cana. A produção de cana será de aproximadamente 25 milhões de toneladas. Na indústria, espera-se a repetição da safra 00/01, que produziu 41 milhões de sacos de açúcar, 313 milhões de litros de álcool hidratado e 400 milhões de litros de álcool anidro. Com estes números, o Estado continuará mantendo a segunda posição no ranking nacional de produtores de cana de açúcar , ficando atrás apenas de São Paulo, maior produtor do Brasil.

Mais matérias
desta edição