app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5757
Economia

Aumento da taxa de juros n�o visa segurar d�lar, diz Banco Central

A decisão de aumentar a taxa básica de juros, a Selic, de 18% para 21% ao ano, foi tomada exclusivamente para conter a alta da inflação no próximo ano, ‘’não visando determinar o nível para a taxa de câmbio’’. A justificativa consta da ata da reunião extr

Por | Edição do dia 17/10/2002 - Matéria atualizada em 17/10/2002 às 00h00

A decisão de aumentar a taxa básica de juros, a Selic, de 18% para 21% ao ano, foi tomada exclusivamente para conter a alta da inflação no próximo ano, ‘’não visando determinar o nível para a taxa de câmbio’’. A justificativa consta da ata da reunião extraordinária do Copom, realizada na última segunda-feira. De acordo com a ata, os membros do Copom admitem a importância da depreciação cambial para o aumento das perspectivas de inflação. No ano, o dólar acumula alta de 66%. O Banco Central destaca, no entanto, que ‘’a política monetária continua sendo calibrada exclusivamente para que a inflação se situe dentro da trajetória de suas metas’’. O BC ressalta, ainda, que a ‘’retomada na confiança na condução futura das políticas econômicas’’ resultaria na apreciação cambial e diminuiria a pressão sobre os preços, melhorando as expectativas de inflação. Inflação O aumento do grau de incertezas nos últimos meses diminui a probabilidade de concretização de um cenário de transição para o futuro governo ‘’sem turbulências exageradas e prolongadas’’. Este foi um dos argumentos para ser elevada a projeção de inflação de 2003 na reunião extraordinária do Copom. De acordo com a ata da reunião divulgada, o aumento da taxa Selic passou de 18% para 21% com base, principalmente na alteração as expectativas do mercado para a inflação - Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em 2003, que passou de 5,2% em 16 de setembro para 5,9%. O teto da meta de inflação do governo para o ano que vem é de 6,5% ao ano. A ata destaca, ainda, que as projeções de inflação utilizando a cotação do dólar na época da reunião anterior do Copom, R$ 3,20, não vem se materializando.

Mais matérias
desta edição