app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5750
Economia

N�mero de empregos na ind�stria encolheu 1,1% em agosto, diz IBGE

Rio - O emprego industrial voltou a cair em agosto, com redução de 1,1% ante igual mês do ano passado. A folha de pagamentos do setor acompanhou o decréscimo no número de postos de trabalho e também encolheu 2% no mesmo período. A ocupação na indústria v

Por | Edição do dia 22/10/2002 - Matéria atualizada em 22/10/2002 às 00h00

Rio - O emprego industrial voltou a cair em agosto, com redução de 1,1% ante igual mês do ano passado. A folha de pagamentos do setor acompanhou o decréscimo no número de postos de trabalho e também encolheu 2% no mesmo período. A ocupação na indústria vem caindo consecutivamente na comparação com igual mês do ano anterior desde dezembro do ano passado, quando o indicador nesse tipo de confronto começou a ser divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os dados divulgados, ontem, pelo instituto revelaram que a estabilidade com tendência de queda na produção da indústria, que vem sendo registrada no decorrer do ano, afetou negativamente os postos de trabalho em todas as bases de comparação. Houve redução no emprego em agosto ante julho (0,3%) e no acumulado dos oito primeiros meses do ano (1,3%) em comparação a igual período do ano passado. A economista do departamento de indústria do IBGE, Isabela Nunes Pereira, afirmou que apesar das quedas o que se observa no quadro do mercado de trabalho industrial é uma “estabilidade” com “ligeira piora do cenário em agosto em relação a julho”. O argumento é que o índice de média móvel trimestral (considerado o principal indicador de tendência) apresentou “uma ligeira queda” no trimestre encerrado em agosto em relação ao terminado em julho. Segundo ela, o emprego industrial não cresce no País porque “não há um quadro que estimule a geração de novos postos de trabalho”. Como exemplo da conjuntura adversa para o setor, ela citou as elevadas taxas de juros e a dificuldade de acesso ao crédito, além das incertezas agravadas pela sucessão presidencial. Renda A folha de pagamento e o número de horas pagas na indústria também apresentaram queda em todas as bases de comparação em agosto. Além da queda de 2% na folha sobre agosto do ano passado, houve redução também na comparação com julho (1,6%) e no acumulado em oito meses do ano (2,4%).

Mais matérias
desta edição