app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5750
Economia

D�lar fecha em alta de 1,34%, cotado a R$ 3,78

São Paulo - O dólar comercial oscilou bastante durante todo o dia e fechou em alta de 1,34%, cotado a R$ 3,760 na compra e a R$ 3,780 na venda. O mercado cambial operou com bastante volatilidade ontem - chegou a cair 2% no meio da tarde - devido ao baixo

Por | Edição do dia 29/10/2002 - Matéria atualizada em 29/10/2002 às 00h00

São Paulo - O dólar comercial oscilou bastante durante todo o dia e fechou em alta de 1,34%, cotado a R$ 3,760 na compra e a R$ 3,780 na venda. O mercado cambial operou com bastante volatilidade ontem - chegou a cair 2% no meio da tarde - devido ao baixo volume de negócios, o que atribuiu maior peso a cada operação. Contribuiu também para a oscilação do pregão o vencimento de quase US$ 2 bilhões de uma dívida cambial na sexta-feira. Até agora o Banco Central não anunciou se será feita a rolagem. Os operadores mostraram tranquilidade após a confirmação da vitória de Luiz Inácio Lula da Silva para a Presidência da República, o que mostra que o resultado já estava embutido nos preços. Apesar da definição do nome do novo presidente e de uma tentativa de otimismo por parte dos investidores, o ritmo dos negócio denuncia uma certa hesitação. “Até agora a gente só sabe quem é o novo presidente, e isso já sabíamos na semana passada. Agora precisamos saber qual será a equipe”, observou Mário Battistel, diretor de câmbio da corretora Novação. Segundo o presidente nacional do PT, deputado federal José Dirceu (SP), Lula deve anunciar hoje os nomes que irão compor a equipe de transição. No pronunciamento que fez ontem, em São Paulo, o presidente eleito disse que irá “escolher os melhores nomes do Brasil para promover um governo amplo”. “Nosso governo vai honrar os contratos estabelecidos pelo governo atual e não vai descuidar do controle da inflação, e manterá, como sempre fez nos governos do PT, uma postura de responsabilidade fiscal.” “O mercado vai ficar atento a todo e qualquer pronunciamento do Lula”, observou Marco Antônio Azevedo, gerente de câmbio do Banco Brascan. “Mas aquele exagero já ficou para trás, até por isso o dólar recuou na semana passada”.

Mais matérias
desta edição