app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5710
Economia

Pre�os de carros sobem at� 6% na segunda-feira

São Paulo - Nova rodada de reajustes nos preços dos veículos ocorre a partir de segunda-feira, com percentuais que variam de 1,6% a 6%. Os índices serão aplicados nos preços de tabela, mas na prática devem chegar em menores proporções ao consumidor. O me

Por | Edição do dia 02/11/2002 - Matéria atualizada em 02/11/2002 às 00h00

São Paulo - Nova rodada de reajustes nos preços dos veículos ocorre a partir de segunda-feira, com percentuais que variam de 1,6% a 6%. Os índices serão aplicados nos preços de tabela, mas na prática devem chegar em menores proporções ao consumidor. O mercado retraído não está aceitando o repasse de custos pretendido pelas empresas. Assim, ao mesmo tempo em que anunciam aumentos, as montadoras concedem bônus e oferecem juros especiais para manter em movimento o mercado de veículos. O economista do BBV Banco Luis Afonso Lima confirma que há grande resistência do consumidor em aceitar reajustes, principalmente no setor de bens duráveis. Estudo feito pela Agência AutoInforme em setembro indica que a média de reajustes nos preços naquele mês foi de 1,3%, ante aumentos oficiais aplicados pelas montadoras de 2% a 7,5%. O que ocorreu, na prática, foi a ampliação de descontos. Hoje, variam de 5% a 8%, diz o revendedor Volkswagen Vittório Rossi Júnior, da Primo Rossi. Segundo a Federação Nacional da Distribuição de Veículos (Fenabrave), os preços dos carros subiram, em média, 8,7% neste ano. Como ocorreu redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), o reajuste oficial ficou em 5,6%. Na maioria das marcas, nem metade desse índice chegou efetivamente ao consumidor. “O repasse até pode ocorrer após algum tempo, mas de forma diferenciada, como por meio de redução de descontos”, diz Lima. Os carros da Volks terão reajustes de 1,6% a 6% na segunda-feira. A empresa aproveita o fim de semana para promoções na TV e nos jornais com a chamada “última semana sem aumento de preços”.

Mais matérias
desta edição