app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5758
Economia

D�lar sobe pressionado por d�vida cambial

São Paulo - O dólar terminou a quarta-feira em leve alta pelo segundo dia seguido, negociado a 3,63 reais, depois de desacelerar o forte avanço exibido na maior parte do dia. Investidores mostraram-se divididos entre a melhora do cenário externo após o I

Por | Edição do dia 14/11/2002 - Matéria atualizada em 14/11/2002 às 00h00

São Paulo - O dólar terminou a quarta-feira em leve alta pelo segundo dia seguido, negociado a 3,63 reais, depois de desacelerar o forte avanço exibido na maior parte do dia. Investidores mostraram-se divididos entre a melhora do cenário externo após o Iraque aceitar os termos de uma resolução da ONU e a pressão com o vencimento de uma dívida cambial nesta quinta-feira. Mas nem mesmo a intervenção do Banco Central, notada por operadores e confirmada no final da tarde, foi suficiente para reverter a trajetória da moeda norte-americana —que fechou com alta de 0,55 por cento. “Já era previsto que o dia seria de maior pressão por conta dos títulos que vencem amanhã e que não foram rolados pelo BC. Todos sabem que o pessoal que detém esses títulos acaba pressionando (as cotações) para garantir uma remuneração maior”, avaliou Luiz Antonio Abdo, da Pioneer Corretora. Na quinta-feira vencem cerca de 1,8 bilhão de dólares em títulos e swaps cambiais. O BC, em quatro leilões nos últimos dias, alcançou 60 por cento da rolagem. O restante será resgatado de acordo com a Ptax, a média das cotações do dólar desta sessão. De acordo com um operador de uma corretora paulista, a pressão sobre o dólar foi mantida até o fechamento pelo interesse de investidores em garantir uma Ptax elevada. Normalmente, isso acontece pela manh㠗quando a maioria das operações é fechada, mas desta vez a espera pelo leilão do BC fez com que muitos negócios fossem deixados para a tarde.

Mais matérias
desta edição