app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5754
Economia

Alta nos pre�os provoca mais pobreza no NE

Brasília - A alta nos preços dos alimentos - registrada por diversos institutos de pesquisa - resultará no aumento do número de pessoas pobres que vivem no País, especialmente nos locais mais carentes, como na Região Nordeste. A conclusão é  do economista

Por | Edição do dia 03/12/2002 - Matéria atualizada em 03/12/2002 às 00h00

Brasília - A alta nos preços dos alimentos - registrada por diversos institutos de pesquisa - resultará no aumento do número de pessoas pobres que vivem no País, especialmente nos locais mais carentes, como na Região Nordeste. A conclusão é  do economista da Universidade de Brasília Jorge Arbache, para quem “quanto mais elevado o custo de vida, menor a renda real e maior a probabilidade das que estão no limiar entre o conceito de pobreza entrarem para o grupo de pobres”. O economista ressalta que estabelecer mecanismos para o controle dos preços, portanto, deve ser uma das principais tarefas do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que estabeleceu como prioridade no seu governo políticas de redução da pobreza, com ênfase no combate à fome. “A elevação dos preços pode culminar em maiores dificuldades econômicas. E queda de investimentos na economia pode implicar em menor crescimento. Ou seja, quando a economia cresce menos, a possibilidade de o nível de pobreza se elevar aumenta”. Encontrar o receituário para evitar essa equação, entretanto, não será nada fácil. “Acho que o ano que vem vai ser muito difícil. Certamente a inflação vai se manter em patamares a níveis superiores do que prevaleceu nos últimos quatro, cinco anos, o que vai fazer com que o novo governo tenha que enfrentar logo de saída essas dificuldades. Soma-se a isso à pressão política para redução da pobreza, algum crescimento da economia e contenção da alta inflacionária.

Mais matérias
desta edição