app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5731
Economia

Bolsa fecha em baixa pela 3� dia

São Paulo, SP – Depois de ter subido até 0,77% durante o dia, com o mercado repercutindo positivamente a queda no nível de aprovação do governo Dilma Rousseff (PT), o principal índice da Bolsa brasileira perdeu força e fechou ontem em baixa pela terceira

Por | Edição do dia 22/07/2015 - Matéria atualizada em 22/07/2015 às 00h00

São Paulo, SP – Depois de ter subido até 0,77% durante o dia, com o mercado repercutindo positivamente a queda no nível de aprovação do governo Dilma Rousseff (PT), o principal índice da Bolsa brasileira perdeu força e fechou ontem em baixa pela terceira sessão consecutiva. O Ibovespa teve desvalorização de 0,24%, para 51.474 pontos. O volume financeiro foi de R$ 4,932 bilhões – abaixo da média diária do ano, de R$ 6,738 bilhões, segundo dados da BM&FBovespa. No mês, a média diária é de R$ 5,337 bilhões. “Os bancos perderam força e caíram, empurrando a Bolsa para baixo”, disse Raphael Figueredo, analista da Clear Corretora. Este é o setor com maior peso dentro do Ibovespa. Segundo Figueredo, a baixa do segmento reflete a expectativa pela reunião de política monetária do Banco Central, na próxima semana. O diretor de assuntos internacionais do BC, Tony Volpon, afirmou nesta sessão que atingir a meta de inflação de 4,5% ao final de 2016 é factível e desejável e que o sucesso dessa abordagem já encontra reflexo na redução de expectativas para o comportamento dos preços. “A fala reduziu algumas expectativas para a próxima reunião do Copom de uma alta de 0,5 ponto percentual da Selic [juro básico] para um aumento de 0,25 ponto percentual da taxa, o que pode ter pesado sobre os papéis dos bancos na Bolsa”, afirmou Figueredo. Atualmente o juro está em 13,75% ao ano. O Itaú viu suas ações caírem 0,84%, para R$ 30,74, enquanto o papel preferencial do Bradesco, mais negociado e sem direito a voto, perdeu 0,89%, a R$ 27,95.

Mais matérias
desta edição