app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5735
Economia

Petr�leo recua a n�veis de 2009

Rio de Janeiro, RJ – Com efeitos da desaceleração da economia chinesa, do possível retorno do Irã ao mercado e do aumento de sondas de exploração em atividade nos Estados Unidos, o petróleo não para de despencar. Na sexta-feira, o barril WTI, referência

Por | Edição do dia 23/08/2015 - Matéria atualizada em 23/08/2015 às 00h00

Rio de Janeiro, RJ – Com efeitos da desaceleração da economia chinesa, do possível retorno do Irã ao mercado e do aumento de sondas de exploração em atividade nos Estados Unidos, o petróleo não para de despencar. Na sexta-feira, o barril WTI, referência no mercado americano, rompeu a barreira de US$ 40 por barril pela primeira vez desde 2009, ao ser negociado a US$ 39,86 durante a tarde. Com uma pequena recuperação no fim do dia, a cotação fechou o pregão em US$ 40,45, queda de 2,1% ante a do dia anterior. Em Londres, o petróleo do tipo Brent caiu 2,5% e fechou em US$ 45,46 por barril. Durante a tarde, chegou perto de romper a barreira dos US$ 45, atingindo os US$ 45,07. Sob reflexo da queda do petróleo, as ações da Petrobras fecharam em baixa pelo sétimo pregão seguido. Os papéis preferenciais – mais negociados – caíram 4,93%, para R$ 8,30. Os ordinários – com direito a voto – tiveram baixa de 5,06%, para R$ 9,20. Segundo projeção do Citi, a cotação norte-americana pode chegar a US$ 32 ainda neste ano. O petróleo texano está em queda há oito semanas consecutivas, o que não ocorria desde 1986.

Mais matérias
desta edição