app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5735
Economia

A��es da Petrobras t�m maior alta desde 1999

São Paulo, SP – A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou em forte alta ontem, na esteira da valorização das commodities e de bolsas no exterior. A cena corporativa no Brasil também esteve em destaque, em meio a notícias de fusões e aquisições e re

Por | Edição do dia 23/02/2016 - Matéria atualizada em 23/02/2016 às 00h00

São Paulo, SP – A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou em forte alta ontem, na esteira da valorização das commodities e de bolsas no exterior. A cena corporativa no Brasil também esteve em destaque, em meio a notícias de fusões e aquisições e resultados trimestrais. O principal índice de ações da bolsa subiu 4,07%, aos 43.234 pontos. No mês de fevereiro, o Ibovespa avança 7%. Em 2016, índice acumula valorização de 0,26%. No exterior, os futuros acionários norte-americanos apontaram um abertura positiva, acompanhando o avanço dos preços do petróleo, alinhados aos fechamentos positivos nos pregões asiáticos e aos ganhos nas bolsas da Europa. As ações ordinárias (ON) da Petrobras subiram 16,14% (R$ 7,41), maior alta diária desde 10 de março de 1999, quando subiram 16,5%, de acordo com a provedora de informações financeiras Economatica. Os papéis preferenciais (PN) também avançaram com força: 13%, a R$ 5,04 por ação. Mesmo com a alta expressiva, a petroleira acumula perda de 13,5% nas preferenciais e 24,8% nas ordinárias desde o início do ano, segundo o economista Einar Rivero, da Economatica. Ontem, os preços do petróleo subiram 6% com apostas em uma redução não convencional na produção nos EUA. Também no radar estava reportagem da Folha de S.Paulo segundo a qual a companhia voltou à mesa de negociação e fez nova proposta para aluguel de sondas de petróleo da Sete Brasil. A mineradora Vale teve as preferenciais de classe A em alta de 8,17% e as ações ordinárias avançando 11.07%, em meio ao salto de 7% nos preços do minério de ferro à vista na China, com a cotação superando US$ 50.

Mais matérias
desta edição