app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5716
Economia

Caixa vai liberar financiamento da casa pr�pria com subs�dio em abril

São Paulo – A Caixa Econômica Federal (CEF) começará  em abril a operar o financiamento para casa própria com  recursos do Programa de Subsídio à Habitação (PSH). Regulamentado ontem pela Presidência da República, o programa conta com R$ 350 milhões do Or

Por | Edição do dia 13/03/2002 - Matéria atualizada em 13/03/2002 às 00h00

São Paulo – A Caixa Econômica Federal (CEF) começará  em abril a operar o financiamento para casa própria com  recursos do Programa de Subsídio à Habitação (PSH). Regulamentado ontem pela Presidência da República, o programa conta com R$ 350 milhões do Orçamento Geral da União e é destinado à aquisição da casa própria por famílias com renda de até R$ 1 mil mensais. Segundo o diretor de Desenvolvimento Urbano da CEF, Aser Cortines, os recursos previstos no orçamento são suficientes para beneficiar 100 mil famílias, entre as financiadas pela CEF e por outros bancos. Cortines considerou positivo o PSH, por tornar mais “transparentes” os “benefícios sociais decorrentes do programa”. Conforme o executivo, os benefícios ficarão explícitos no orçamento e não mais “escondidos na contabilidade da Caixa”. Para famílias com renda mensal até R$ 580,00, os recursos do PSH serão usados para complementar a capacidade financeira dos candidatos, no ato da contratação do empréstimo. Com isso, os interessados poderão pleitear imóveis de melhor padrão. Para famílias com renda entre R$ 580,00 e R$ 1 mil, o dinheiro servirá apenas para reduzir os custos de financiamento, assegurando o equilíbrio econômico-financeiro das operações. Neste caso, os recursos serão usados para ajudar os tomados com despesas de contratação, administração e cobrança. Em ambos os casos, o valor máximo do imóvel contratado é de R$ 10 mil e o subsídio não pode exceder R$ 4,5 mil. Os financiamentos serão liberados pela mesma linha de crédito que usa recursos do FGTS e com os mesmos custos financeiros (TR mais 8% ao ano).

Mais matérias
desta edição