Nº 4227
Economia A receita de Pindoba é fruto da criação de gado, agricultura e da arrecadação do FPM

Prefeitos e vereadores prometem resistir a projeto federal

Políticos se reúnem extraordinariamente para discutir como agirão para evitar que o município volte a ser vila da Zona da Mata

Entre os 2.908 habitantes de Pindoba, o assunto é um só: a proposta do governo federal de extinção dos municípios que tramita no Congresso Nacional. A maioria é contra. O prefeito Maxuel Tenório Cavalcante (PSB) e os nove vereadores da cidade prometeram a população que vão resistir politicamente contra o Projeto de Emenda Constitucional que quer acabar com a cidade. Na quarta-feira (06), os vereadores se reuniram extraordinariamente para discutir inclusive como agirão para evitar que a cidade volte a ser vila da Zona da Mata.

A receita de Pindoba é fruto da criação de gado, agricultura e da arrecadação do Fundo de Participação dos Municípios, que varia entre R$ 600 mil e R$ 750 mil mensais, revelou uma fonte da administração que pediu para não ter o nome publicado. Parte do dinheiro é gasto com a folha de funcionalismo, que tem cerca de 300 servidores, a maioria concursado, sem contar o repasse para a Câmara dos Vereadores, cerca de R$ 40 mil/mês. Os salários e pagamento de credores estão em dia, garantem os servidores.

O município ganhou notoriedade nacional recentemente, depois que a Gazeta de Alagoas, Gazetaweb, TV Mar e Rádio Gazeta mostraram que os 24 quilômetros do acesso à cidade permanece com estrada de barro. O governador de Alagoas há cinco anos, em períodos eleitorais, esteve na cidade prometendo asfaltar cerca de 11 quilômetros do trecho entre o centro da cidade até a AL-110, que passa pela cidade de Viçosa. Depois da reportagem, mais uma vez, começaram o serviço de terraplanagem.

Agora, a população e os políticos locais voltaram a ser surpreendidos com a proposta do governo federal que quer acabar com os municípios com menos de cinco mil habitantes. Um terço da cidade teme ficar desempregado com o fim da gestão municipal local e não quer saber de discutir nada que indique a possibilidade de Pindoba voltar a ser um povoado ou vila do município de Viçosa ou de outras regiões próximas.

O vereador João Ferreira da Silva (PSDB), que é do grupo da base de apoio, revelou que a cidade está unida em defesa da gestão local. “Nos últimos 20 anos, o prefeito Maxuel Tenório tem feito investimentos nas áreas de saúde, educação, infraestrutura, busca o desenvolvimento da região e agora vem esta proposta do governo federal. Ninguém aceita isto”. Os nove vereadores também prometem resistir. “Estamos confiante na bancada federal do nosso estado”, disse João Ferreira.

Ao rebater os argumentos de que as cidades pequenas não tem orçamento para se manter, o vereador afirmou que “Pindoba depende basicamente do FPM, mas vivemos numa cidade organizada, com pagamento em dia, os serviços públicos funcionam e o comércio sobrevive com a circulação de dinheiro. A cidade conta com bom serviço de saúde, de educação tanto que o município ocupa o sétimo lugar no Ideb de Alagoas (Índice que mede o desempenho e o desenvolvimento da educação básica nos estados e municípios). Tudo aqui em Pindoba funciona”, acredita o vereador.

Mais matérias
desta edição