Nº 0
Economia

BLACK FRIDAY ATRAI MILHARES DE CONSUMIDORES EM MACEIÓ

.

Por THIAGO GOMES PÂMELA DE OLIVEIRA*/ REPÓRTER E ESTAGIÁRIA | Edição do dia 30/11/2019 - Matéria atualizada em 29/11/2019 às 22h01

Foto: Elysee Nyland
 

Consumidores de Maceió acordaram bem cedo em busca de boas ofertas da Black Friday. O dia de liquidação atraiu grande público para lojas de departamento, tanto no calçadão do comércio como nos shoppings, e longas filas se formaram nos caixas. Para chamar a atenção de quem passava, as empresas coloriram as prateleiras, empilharam os produtos e contrataram mais funcionários. Equipes do Procon foram às ruas para monitorar as vendas, evitando propagandas enganosas, além de passar orientações e tirar todas as dúvidas. Raquel Silva saiu de casa com a intenção de comprar um televisor. Ansiosa, ela disse que esperou esta data por pensar que encontraria um preço que caberia em seu bolso, mas admite que esperava oferta melhor. "Os preços não estão como eu esperava, mas, mesmo assim, está um pouco melhor do que antes. Eu pesquisei nesses dias e decidi esperar pela Black Friday pra adquirir minha TV. A única coisa ruim são as filas, e temos que esperar muito tempo", disse. Gerente de uma loja de departamentos no centro de Maceió, Marcos André comemora as vendas desta sexta-feira e destaca que alguns produtos estão com até 70% de desconto. "A Black Friday abre a temporada de vendas no fim do ano. Vale muito a pena o cliente vir para o comércio realizar seu sonho", comenta. Ele revela que a empresa ampliou o atendimento, com um horário diferenciado, abrindo às 6h da manhã. "Já havia uma multidão invadindo a loja e tivemos que fechar quase todas as portas pra que ninguém se machucasse no tumulto. Para alcançar a demanda, contratamos cerca de 30 colaboradores a mais, já contando com o período de compras de fim de ano", informa. Longas filas também se formaram nos postos de gasolina da capital. Os motoristas encararam o tempo de espera em buscas dos melhores preços e afirmaram que vale a pena. Em um estabelecimento, o preço do combustível estava sendo comercializado por R$ 3,74.

* Sob supervisão da editoria de Economia

Mais matérias
desta edição