app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Economia

Teto para financiamento de usados sobe para 70%

Brasília - Quem estiver interessado em comprar pela Caixa Econômica Federal um imóvel usado utilizando o dinheiro  do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) vai ter  uma boa surpresa. Desde ontem o limite de crédito subiu de 50% para 70% do valor to

Por | Edição do dia 21/01/2004 - Matéria atualizada em 21/01/2004 às 00h00

Brasília - Quem estiver interessado em comprar pela Caixa Econômica Federal um imóvel usado utilizando o dinheiro  do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) vai ter  uma boa surpresa. Desde ontem o limite de crédito subiu de 50% para 70% do valor total do imóvel. A medida já está valendo nas agências da Caixa. Com o aumento do limite de crédito, os futuros mutuários precisarão dar uma entrada menor na compra. Antes, o programa financiava até 100% do valor para trabalhadores com renda familiar máxima de R$ 2.400 por mês. Como os recursos do FGTS para o financiamento da habitação estão terminando, o governo decidiu limitar a 50% o percentual de financiamento. Agora, com a previsão de recursos do FGTS para o financiamento da habitação em R$ 7,45 bilhões em 2004, o limite de financiamento volta a subir. A Carta de Crédito Individual - FGTS é a principal linha de financiamento de imóveis operada pela Caixa com recursos do fundo. Além de imóveis usados, ela financia imóveis novos e em construção, lotes urbanizados, material de construção e reforma ou ampliação de imóveis. Neste ano, a linha terá ao todo R$ 3,05 bilhões para aplicar nestas modalidades. Características Veja as principais características do financiamento de  imóveis usados: prazo, até 20 anos; valor máximo do imóvel, R$ 72.000; limite de financiamento, 70%; limite de renda bruta familiar do mutuário, R$  2.400; juros, 6% ao ano (para famílias com renda até R$  1.000) ou 8,16% ao ano (para  famílias com renda entre R$  1.000 e R$ 2.400); sistemas da amortização, Sacre e Price. Recursos Além de anunciar o aumento no limite de financiamento para imóveis usados, o presidente da Caixa, Jorge Mattoso disse que, este ano, o banco deve destinar cerca de R$ 2 bilhões para o setor das Habitação, em recursos próprios. “Este é o maior valor (em recursos próprios) que a CEF destina para a Habitação nos últimos dez anos”, ponderou Mattoso. O orçamento total da CEF (deste ano) para o setor de Habitação é de R$ 8,3 bilhão. Além dos recursos próprios, a Caixa contará com mais R$ 7,45 bilhões do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) para o financiamento da habitação, saneamento básico e transporte. O orçamento do FGTS para estes fins é R$ 3 bilhões superior ao de 2003. Os recursos são importantes para a Caixa cumprir a promessa de emprestar até R$ 12 bilhões em 2004 para saneamento e habitação. Os recursos do FGTS são repassados à Caixa, que então faz os empréstimos ao tomador final.

Mais matérias
desta edição