app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Economia

COLÔNIA EXIGE CUMPRIMENTO DE PROTOCOLOS SANITÁRIOS

.

Por Arnaldo Ferreira | Edição do dia 15/01/2022 - Matéria atualizada em 14/01/2022 às 19h02

A Colônia de Pescadores exige dos profissionais que trabalham com turistas o cumprimento dos protocolos sanitários. “Ao comprar o voucher [passagem] para o passeio, o turista recebe uma pulseira de identificação, que representa a regulamentação da atividade, com garantias de qualidade do serviço, segurança e orientação sobre os protocolos para evitar a contaminação”, justifica. “Cida” explicou que o aumento para R$ 65 é para cobrir os novos custos com os funcionários que estarão no quiosque para orientar o turista a respeito dos protocolos e com a segurança”. Ela conta que a maioria dos profissionais e os diretores da Colônia de Pescadores aprovou a determinação dos órgãos fiscalizadores em exigir o cumprimento das orientações sanitárias. “Tem que ser assim. Alagoas já vacinou quase 70% da população. Maceió é uma das capitais modelo nas campanhas de imunização. Por isso, a cidade está lotada. Isto é bom porque tem muita gente precisando trabalhar e com prevenção para manter a saúde em dia”, disse Maria Aparecida.

O novo quiosque para vender o bilhete do passeio de jangada funciona na Praia da Pajuçara próximo do posto do Corpo de Bombeiros. O ordenamento da atividade era um pleito antigo dos jangadeiros. O acesso às embarcações era feito por abordagem de agenciadores. Havia um preço padrão que poucos respeitavam.

MARAGOGI

Outro polo que está “bombando” é Maragogi. Última cidade do litoral Norte, que faz divisa com Pernambuco, consolida-se como o segundo maior ponto de atração turística do Estado. A cidade de 33 mil habitantes, mas que dobrou a população nesta temporada. O prefeito Fernando Sérgio Lira (PP) confirmou que os hotéis, pousadas e casas de veraneio estão lotados até março. O prefeito, que é vice-presidente da Associação do Municípios Alagoanos (AMA) e médico, foi o primeiro a recomendar a suspensão de festas públicas e cancelar o carnaval de rua.

“Estamos orientando os empresários do trade turístico a manter o rigor dos protocolos sanitários, evitar concentração nos estabelecimentos”, disse, acrescentando que monitora o quadro epidemiológico da cidade. O município, que não tem tradição de carnaval, oferece passeios às piscinas naturais de banho e mergulho, passeios de catamarãs até as comunidades tradicionais como São Bento, pontos históricos, rotas rurais com cachoeiras. “Com o turismo em alta, o desemprego caiu radicalmente na região”, comemora Lira. Para manter o turismo aquecido, a prefeitura está investindo R$ 92 milhões em programas de saneamento, abastecimento de água, infraestrutura e ordenamento urbano. “Estas obras em andamento fazem parte do marco referencial do saneamento e ajudam também a combater o desemprego na região”. AF

Mais matérias
desta edição