app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Economia

IBGE ESTIMA ALTA DE 20% NA SAFRA DE GRÃOS DE ALAGOAS

.

Por Hebert Borges | Edição do dia 14/05/2022 - Matéria atualizada em 13/05/2022 às 18h23

Em abril, a safra de cereais, leguminosas e oleaginosas em Alagoas estimada para 2022 deve totalizar 158,1 mil toneladas, o que é 20,8% acima da obtida em 2021, ou seja 27,207 mil toneladas a mais. Isso é o que aponta o O Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) divulgado na quinta-feira (12) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em nível nacional, a safra deve totalizar 261,5 milhões de toneladas, 3,3% acima (8,3 milhões de toneladas) da obtida em 2021 (253,2 milhões) e 1,0% acima da informação anterior (2,5 milhões). Os dados do IBGE apontam que, em abril, o tomate foi o produto com maior alta de produção, com aumento de 83,5%, saindo de 8.825 toneladas na safra do ano passado, para 16.191 toneladas esse ano. Já o algodão teve o maior recuo na safra, com uma queda de 54,8%, saindo 2.907 toneladas na safra do ano passado, para 1.313 este ano. Em relação à área plantada em Alagoas, o tomate foi o produto que registrou o maior aumento, saindo 141 hectares em 2021 para 282 hectares este ano. No geral, área plantada em Alagoas recuou 6,7% em abril, saindo de 496.163 hectares para 463.121 hectares. O algodão teve o maior recuo de área plantada, saindo de 1.080 hectares para 634 hectares, recuo de 41,3%. O levantamento aponta que, no Brasil, a área a ser colhida é de 71,9 milhões de hectares, 4,9% (3,4 milhões de hectares) maior que a área colhida em 2021 e 0,2% (155,3 mil) maior do que o previsto no mês anterior. O arroz, o milho e a soja, os três principais produtos deste grupo, somados, representam 92,2% da estimativa da produção e respondem por 87,8% da área a ser colhida. Frente a 2021, houve acréscimos de 8,1% na área do milho (7,2% na primeira safra e 8,4% na segunda), de 10,4% na área do algodão herbáceo e de 4,2% na da soja. Por outro lado, houve quedas de 2,0% nas áreas do arroz e de 2,9% na do trigo. Na projeção de produção, houve altas de 11,6% para o algodão herbáceo em caroço, alcançando 6,5 milhões de toneladas; de 1,4% para o trigo (7,9 milhões) e de 27,5% para o milho (111,9 milhões). É esperada queda de 1,4% no milho na 1ª safra (25,3 milhões) e alta de 39,4% no milho na 2ª safra (86,6 milhões). Há projeção de queda de 12,2% para a soja (118,5 milhões) e de 8,5% para o arroz em casca (10,6 milhões). A informação de abril para a safra nacional de cereais, leguminosas e oleaginosas de 2022 alcançou 261,5 milhões de toneladas e uma área colhida de 71,9 milhões de hectares. Em relação a 2021, a área a ser colhida cresceu 4,9% (3,4 milhões de hectares). Frente ao previsto no mês anterior, houve alta de 155,3 mil hectares (0,2%). A estimativa da produção apresentou alta anual para quatro regiões: Centro-Oeste (11,7%), Sudeste (11,4%), Norte (5,2%) e Nordeste (9,9%), com queda para a Sul (-14,5%). Quanto à variação mensal, as cinco regiões apresentaram crescimento na estimativa da produção: Centro-Oeste (0,8%), Sul (1,0%), Sudeste (1,7%), Nordeste (0,8%) e Norte (1,5%). Em relação a março, houve aumento nas estimativas da produção da batata-inglesa 3ª safra (20,4% ou 163 344 t), do feijão 3ª safra (16,5% ou 98 215 t), batata-inglesa 2ª safra (9,0% ou 102 083 t), sorgo (4,0% ou 112 407 t), milho 1ª safra (2,7% ou 654 257 t), da soja (2,0% ou 2 337 581 t), do tomate (1,5% ou 53 373 t), do feijão 2ª safra (1,3% ou 17 134 t), da uva (1,2% ou 17 070 t), do café canephora (1,0% ou 9 978 t), e quedas para o feijão 1ª safra (-7,5% ou -90 328 t), o café arábica (-3,5% ou -81 289 t), a batata-inglesa 1ª safra (-3,2% ou -55 526 t), a laranja (-1,5% ou -251 435 t) e o milho 2ª safra (-0,7% ou -643 820 t).

Mais matérias
desta edição