app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5718
Economia

Censo registra o aumento da popula��o urbana no Interior

ROBERTO VILANOVA Canapi – A migração em Alagoas segue o mesmo trajeto de via única entre o campo e a cidade, mas um detalhe chamou a atenção dos pesquisadores: a taxa de crescimento urbano das cidades  sertanejas foi relativamente superior a de Maceió.

Por | Edição do dia 21/04/2002 - Matéria atualizada em 21/04/2002 às 00h00

ROBERTO VILANOVA Canapi – A migração em Alagoas segue o mesmo trajeto de via única entre o campo e a cidade, mas um detalhe chamou a atenção dos pesquisadores: a taxa de crescimento urbano das cidades  sertanejas foi relativamente superior a de Maceió. Em Canapi, por exemplo, a expansão urbana nos últimos dez anos obrigou a abertura de cinco novas ruas. Outro ponto destacado é que a maioria dos migrantes possui terras – vindo para a cidade para educar os filhos ou porque a terra, degradada, não rende mais o suficiente para manter a família com a lavoura ou a pecuária. O módulo mínimo para a sobrevivência de uma família de cinco pessoas, estipulado em 132 tarefas ou cerca de 40 hectares não tem mais utilidade. Enquanto a expansão urbana em Canapi atingiu taxas nunca registradas, a zona rural de Mata Grande, na divisa com Inajá e Manari, do lado pernambucano, perdeu metade dos habitantes nos últimos dez anos. “Nem o gado fica mais aqui”, disse o administrador da fazenda do sr. João Neto, informando que o patrão retirou o rebanho para Inhapi. “Não tem água, nem pasto”, completou. Expansão Com a expansão urbana, Canapi ganhou ruas pavimentadas, praças e mais iluminação pública. E igual a toda cidade que se expande, acaba de inaugurar uma rádio comunitária (Canapi FM), com alcance declarado para cinco quilômetros de raio. “Era o meu sonho, sempre me amarrei em rádio. Eu ficava imitando o Arivaldo Maia (Rádio GAZETA) transmitindo futebol”, festejou Ezequiel Freitas, 19, conhecido artisticamente como Quiel. Em sociedade com o amigo Zeca, ex-vereador em Inhapi, Quiel montou a rádio há três meses e já comemora o sucesso, com a resposta imediata da população. “Antes, a gente dependia das rádios de Santana do Ipanema para mandar um recado”, lembrou. Quiel é consciente e diz que a rádio tem papel importante a desempenhar na defesa da cultura e da conscientização do povo para os problemas como da desertificação do solo sertanejo. “No que depender de nós, faremos de tudo para conscientizar a população; todos nós temos a obrigação de defender o meio ambiente”, prometeu. A expansão urbana cria, também, oportunidades de serviços que ampliam o setor terciário. Há vinte anos não havia posto para revenda de combustível em Canapi e quem quisesse abastecer os veículos teria de se deslocar para o povoado do Carié ou Mata Grande; hoje existem dois postos, um deles vendendo a gasolina mais barata de Alagoas: 1 real e 59 centavos o litro. Comércio O comércio tem lojas que vendem peças de carro – antes só encontradas no comércio de Santana do Ipanema, distante 58 quilômetros; loteria, boutiques e surgiu a feira de caprinos e ovinos, que já é considerada uma das maiores do Estado. Por semana, a feira movimenta 50 mil reais em compra e venda.

Mais matérias
desta edição