app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Economia

BOLSONARO DIZ ESPERAR MAIS REDUÇÕES DOS COMBUSTÍVEIS

O presidente Jair Bolsonaro (PL) disse esperar que a Petrobras anuncie novas reduções no preço dos combustíveis. Na última quinta-feira (4), a petroleira anunciou a redução de R$ 0,20 no preço do diesel, uma queda de 3,57% que já começou a valer na sexta-

Por Metrópoles | Edição do dia 06/08/2022 - Matéria atualizada em 05/08/2022 às 21h19

O presidente Jair Bolsonaro (PL) disse esperar que a Petrobras anuncie novas reduções no preço dos combustíveis. Na última quinta-feira (4), a petroleira anunciou a redução de R$ 0,20 no preço do diesel, uma queda de 3,57% que já começou a valer na sexta-feira (5). Os preços dos demais combustíveis não foram alterados. 

“Então, a Petrobras, com a nova direção, com novo presidente agora, anuncia a primeira redução no preço do diesel. Parabéns aí à Petrobras. Já haviam reduzido nas últimas duas semanas R$ 0,35 no preço da gasolina lá na refinaria. A gente espera que outras reduções aconteçam aí na nossa Petrobras”, afirmou, em live nas redes sociais.

Esta é primeira redução no preço do diesel desde que o novo presidente da estatal, Caio Paes de Andrade, assumiu o comando da estatal, em junho deste ano.

A Petrobras afirma que, considerando a mistura obrigatória de 90% de diesel A e 10% de biodiesel para a composição do diesel comercializado nos postos, a parcela da estatal no preço ao consumidor passará de R$ 5,05, em média, para R$ 4,87 a cada litro vendido na bomba.

De acordo com a companhia, a redução “acompanha a evolução dos preços de referência”.

O texto pontua ainda que a decisão “é coerente com a prática de preços da Petrobras, que busca o equilíbrio dos seus preços com o mercado global, mas sem o repasse para os preços internos da volatilidade conjuntural das cotações internacionais e da taxa de câmbio”.

Na gestão de Paes de Andrade, foram duas reduções no preço da gasolina – uma em 20 e outra em 29 de julho. O recuo, da última vez, foi de R$ 3,86 para R$ 3,71 – ou R$ 0,15

Mais matérias
desta edição