app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5715
Economia

Casa pr�pria: presta��o cai 4% com novo prazo do FAT

São Paulo - A prestação inicial de financiamentos habitacionais da Caixa Econômica Federal (CEF), com recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), baixará 4% com a ampliação dos prazos de pagamento. A partir de 2 de maio, o prazo será ampliado dos a

Por | Edição do dia 24/04/2002 - Matéria atualizada em 24/04/2002 às 00h00

São Paulo - A prestação inicial de financiamentos habitacionais da Caixa Econômica Federal (CEF), com recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), baixará 4% com a ampliação dos prazos de pagamento. A partir de 2 de maio, o prazo será ampliado dos atuais 150 meses para 168 meses, e o comprometimento de renda subirá de 25% para 30%. “A queda da prestação é razoável”, afirmou o consultor técnico Anecir Scherre, da Diretoria de Desenvolvimento Urbano da CEF. Segundo ele, a estimativa baseia-se nas mesmas taxas de juros em vigor atualmente. O crédito habitacional com recursos do FAT foi aberto em 2 de janeiro. Voltado para famílias com renda mensal superior a R$ 2 mil, o programa sofre críticas dos incorporadores imobiliários, sobretudo em relação ao menor prazo de pagamento. Pelas linhas convencionais da CEF, suspensas no ano passado e baseadas em recursos da caderneta de poupança, os empréstimos eram financiados em até 240 meses. Devido ao menor período de amortização, as prestações iniciais do programa do FAT chegavam a ser 40% maiores do que a de operações semelhantes pela poupança, desestimulando diversos interessados. Consórcio A venda de cotas de consórcios imobiliários somou 11,1 mil nos dois primeiros meses do ano. O volume é 50% maior do que as 7,4 mil cotas vendidas no primeiro bimestre de 2001. As contemplações (consorciados que receberam o imóvel) subiram 35,71% na comparação dos dois períodos, de 1,4 mil para 1,9 mil. O número de participantes atingiu 99,2 mil em fevereiro, 27,9% acima dos 77,6 mil de igual mês de 2001. A pesquisa da Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios (Abac) tem defasagem de dois meses. Para a presidente da entidade, Consuelo Amorim, as vendas de cotas devem aumentar com a regulamentação, pela CEF, do uso do saldo do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para lances ou complemento de crédito em consórcios de imóveis. A expectativa é de que o banco regulamente a matéria até o fim da primeira quinzena de maio.

Mais matérias
desta edição