app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5749
Economia Na comparação mensal, o aumento na intenção de consumo  foi de 1,6%, enquanto,

intenção de consumo tem maior alta em 7 anos

.

Por Rayssa Cavalcante | Edição do dia 18/11/2022 - Matéria atualizada em 18/11/2022 às 04h00

A intenção de consumo das famílias voltou a crescer em Maceió, no mês de outubro, segundo dados divulgados nesta quinta-feira (17), pelo Instituto Fecomércio Alagoas, em parceria com a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). Na comparação mensal, o aumento foi de 1,6%, enquanto, anualmente, o crescimento foi de mais de 28%. Com a alta, a pesquisa aponta que, no mês de outubro, a capital registrou uma nova máxima para os últimos sete anos, alcançando 118,1 pontos. Na edição de outubro, apenas dois subíndices tiveram variação negativa: “acesso ao Crédito”, com queda de -2,5%, e “Perspectivas de Consumo”, com -0,2%. Para o assessor econômico da Fecomércio AL, Victor Hortencio, a baixa acentuada em “Acesso ao Crédito” é um reflexo do aumento sustentado da taxa Selic (a 13,75% no acumulado do ano), que baliza as taxas de crédito e investimento em todo o país. Por outro lado, houve aumento mais significativo entre os subíndices do “Momento para Duráveis”, com alta de 5% na comparação mensal. Segundo Hortencio, esse resultado sugere um sentimento de otimismo para o final de ano, apesar de eventuais incertezas políticas. “O que pode explicar o crescimento do indicador é a proximidade com a Black Friday e com a Copa do Mundo, período que alavanca, principalmente, as vendas de eletroeletrônicos em todo o Brasil”, concluiu. O assessor ainda afirmou que a taxa de crescimento constatada nos resultados do índice é um reflexo do cenário econômico visto no segundo semestre de 2022, principalmente no que se refere às famílias de rendas mais baixas. “A combinação de deflação, puxada pela queda nos preços dos combustíveis, o crescimento do emprego formal e o aumento das transferências de renda impulsionaram e mantiveram o nível de consumo em patamares otimistas”, observou. Ele também destacou que, em se tratando da empregabilidade, dados do IBGE demonstram que a taxa de desocupação nacional chegou ao menor patamar de 2022, reduzindo de 13,1% para 8,9% em um ano. Em Maceió, no mês de setembro, foi registrado um saldo de 1.253 novos postos de trabalho. Deste total, os segmentos de comércio e serviços respondem por 73,4%, que, em números absolutos, corresponde a 920 postos de trabalho. Em todo o País, a Intenção de Consumo das Famílias (ICF) cresceu 2,1% em outubro deste ano, na comparação com o mês anterior, e atingiu 87 pontos em uma escala de 0 a 200.

Essa foi a nona alta consecutiva do indicador e, segundo a CNC, pode ser explicada por fatores como a deflação dos últimos meses, o crescimento do emprego formal, as transferências de renda e as contratações de crédito. Entre os sete componentes da ICF, as maiores altas foram apresentadas pelo nível de consumo atual (4,1%) e a perspectiva de consumo (2,5%). Os demais componentes também tiveram crescimento: momento para a compra de bens duráveis (2,1%), renda atual (2,1%), acesso ao crédito (1,9%), emprego atual (1,5%) e perspectiva profissional (1,2%).

* Com informações da assessoria.

Mais matérias
desta edição