app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5710
Economia 72.078 empresas são MEIs (pessoas que trabalha como pequeno empresário ou empresa individual)

Estado tem mais de 260 mil empresas ativas

.

Por Arnaldo Ferreira | Edição do dia 17/12/2022 - Matéria atualizada em 17/12/2022 às 04h00

De acordo com as informações divulgadas pelo presidente da Junta Comercial, Carlos Araújo, Alagoas possui atualmente 260.158 empresas com registros ativos, das quais 172.078 empresas são MEIs (pessoas que trabalha como pequeno empresário ou empresa individual); 60.329 são Micros Empresas (ME); 12.754 são Empresas de Pequeno Porte (EPP); e 14.914 São empresas sem porte definido na Juceal. Em outubro de 2021, a Juceal afirmou que Alagoas tinha 237.493 empresas com registros ativos. A última pesquisa em relação às empresas com registro ativos em Alagoas foi feita em outubro deste ano. Ao ser questionado quanto dessas empresas foram criadas a partir do empreendedorismo feminino, o presidente Carlos Araújo revelou que a pesquisa por gênero “é algo novo e que vem sendo trabalhado pela Juceal juntamente ao desenvolvimento do sistema atual de registro empresarial, o Portal Facilita Alagoas”. A junta identifica apenas que entre as microempresas, MEIs e MEs, Alagoas possuía 52.663 mulheres com participação em negócios, sendo elas empresárias ou sócias. Delas, 37.099 eram MEIs. Entretanto, Carlos Araújo, afirma que a Juceal tem procurado formas de incentivar o empreendedorismo, expandindo o acesso a um registro empresarial totalmente online e desburocratizado para os gêneros e diversas classes sociais. O trabalho voltado para expandir esse número de mulheres empreendedoras também é algo pensado. Isso teve um ponto chave com os trabalhos feitos com a Secretaria de Estado do Planejamento, Gestão e Patrimônio (Seplag), que destacou as ações feitas junto ao observatório da ONU (Organização das Nações Unidas) aqui em Alagoas, disse Carlos Araújo.

capacitação

As pesquisas realizadas a partir de 2018 revelam que as mulheres empreendedoras estudam 16% a mais do que os homens: enquanto eles dedicam em média 8,5 anos à formação, elas investem 9,9 anos de suas vidas. E mesmo assim, ganham menos: o rendimento médio mensal das empresárias é 22% menor. Os pesquisadores atestam também que além da capacitação, as empreendedoras são mais determinadas

As empreendedoras buscam capacitação, desenvolver novas competências e ocupam espaços em segmentos da indústria, comércio e serviços. “As mulheres percebem que para conquistar espaço no mercado é precisa fazer três vezes mais do que o homem faz”, destaca a empresária e consultora de carreiras Polyana Barbosa da Silva.

Em seus comentários que costuma fazer inclusive na TV Gazeta, a empresária afirma que “a mulher tem garra e a maioria costuma focar forte em objetivos”. Observou-se que cada vez mais mulheres buscam suas independências financeiras e nos últimos anos têm crescido no País e em Alagoas o empreendedorismo feminino nos mais diversos campos. “Acredito que em breve teremos igualado o número de empresas de homens e mulheres. Muitas de nós querem ser protagonistas de suas próprias histórias e um dos caminhos está na independência financeira, na implantação dos nossos negócios”. af

Mais matérias
desta edição