app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5709
Economia

Inadimplência de empresas reduz 21% em Alagoas

Dados da Serasa apontam que 13.695 empresas conseguiram quitar ou negociar débitos que estavam negativados

Por Hebert Borges | Edição do dia 24/01/2023 - Matéria atualizada em 24/01/2023 às 05h00

 

Economista Luiz Rabi diz que melhora no quadro de inadimplência depende de reação em cadeia
Economista Luiz Rabi diz que melhora no quadro de inadimplência depende de reação em cadeia - Foto: Reprodução
 


Um total de 48.906 empresas de Alagoas estavam inadimplentes até novembro do ano passado, de acordo com dados da Serasa. O número é 21% menor do que o registrado em outubro, quando 62.601 empresas estavam inadimplentes no Estado.

Os dados da Serasa apontam ainda que são 291.132 dívidas negativadas, que, juntas, somam R$ 620,4 milhões. Cada empresa tem, em média, seis dívidas negativadas e a dívida média é de R$ 12,686.

Em todo o Brasil, 6.392.011 empresas estavam com dívidas em novembro de 2022, contra 5.877.349 em novembro de 2021. Desde o início do ano passado, o indicador não marcou nenhuma queda e o cenário de inadimplentes apenas se agravou.

São Paulo lidera o levantamento brasileiro com 2.075.708 milhões de negócios com contas vencidas, seguido por Minas Gerais (623.601) e Rio de Janeiro, que teve o maior número já registrado pela pesquisa, com 576.067 negócios no vermelho.

Ainda de acordo com o indicador, a quantidade de dívidas e o valor acumulado delas também registraram recordes históricos. Foram 45 milhões de débitos negativados no período, totalizando R$ 108 bilhões. Cada CNPJ no vermelho tinha cerca de 7 dívidas a pagar.

Para o economista da Serasa Experian, Luiz Rabi, a melhora desse quadro de inadimplência das empresas depende de uma reação em cadeia. “Para que esse cenário mostre uma visão mais positiva é necessário que os consumidores consigam sair da inadimplência, aumentem seu poder de compra e comecem a honrar com seus compromissos financeiros, além de consumir mais. Esses dois fatores deverão contribuir para o fluxo de caixa dos negócios que, só então, conseguirão se organizar financeiramente”.

A análise por setor revelou que mais da metade das empresas inadimplentes atua no segmento de Serviços (53,5%). Em sequência está a parcela do Comércio (37,5%), Indústria (7,7%), setor Primário (0,8%) e Outros (0,4%).

A maioria dos empresários que respondeu a pesquisa afirmou ter adquirido as dívidas na categoria Outros (28,9%), que engloba indústrias, além de empresas do terceiro setor e do agronegócio. Os débitos também mostram alto nível de aquisição na área de Serviços e de Bancos e Cartões.

O Indicador Serasa Experian de Inadimplência das Empresas contempla a quantidade de empresas brasileiras que estão em situação de inadimplência, ou seja, possuem pelo menos um compromisso vencido e não pago, apurado em novembro. O Indicador é segmentado por UFs, porte e setor.

Mais matérias
desta edição