app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5709
Economia Número de famílias endividadas registrou o menor índice dos últimos nove meses

11% DAS FAMÍLIAS DE AL ESTÃO COMPROMETIDAS COM DÍVIDAS POR 1 ANO

De acordo com levantamento da Fecomércio-AL, a situação é mais presente entre os que possuem renda acima de 10 salários mínimos

Por Hebert Borges | Edição do dia 07/02/2023 - Matéria atualizada em 07/02/2023 às 04h00

Pesquisa da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Alagoas (Fecomércio-AL) divulgada nesta segunda-feira (6) aponta que 11,2% das famílias alagoanas estão comprometidas com dívidas por mais de um ano. O levantamento aponta que a situação é mais presente entre os que possuem renda acima de 10 salários mínimos. Neste grupo, 18,9% estão com dívidas que devem durar mais de um ano. Entre quem ganha até dez salários, o comprometimento é de 10,7%. O levantamento aponta, no entanto, que o número de famílias alagoanas endividadas registrou o menor índice dos últimos nove meses. Em dezembro, após três quedas mensais consecutivas, a taxa percentual chegou a 66% da população. Segundo o levantamento, dentre os endividados, isto é, pessoas com alguma parcela a ser quitada, 66 mil famílias possuem dívidas em atraso, ou seja, estão inadimplentes. E, desse total, 19,7% alegam que não conseguirão regularizar as contas no curto prazo, sequer parcialmente. Para efeito de registro, esse montante representa 4,3% da população, abrangendo 13 mil famílias.

FATORES

O assessor econômico da Fecomércio-AL, Victor Hortencio, diz acreditar que a desaceleração percebida no ritmo de endividamento se deve a uma combinação de fatores. “Em 2022, vimos uma interação positiva entre a evolução otimista no mercado de trabalho, que desencadeou na redução da taxa de desemprego, a queda da inflação e o aumento dos valores das políticas públicas de transferência de renda”, observou. O cartão de crédito continua sendo o principal meio de endividamento, com 97,4% dos alagoanos com alguma parcela a ser quitada. Em segundo lugar, estão os carnês, que comprometem o orçamento de 28,4% das famílias. Dentre o número de famílias endividadas, 92,5% estão com mais de 10% do orçamento comprometido com alguma compra parcelada ou financiamento. Sendo que, embora a recomendação para se manter com uma vida financeira saudável seja não ultrapassar o limite de 30%, para esse grupo de pessoas, as dívidas comprometem, em média, 30,6% da renda familiar.

Mais matérias
desta edição