app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5709
Economia

PRODUÇÃO DE PETRÓLEO EM AL TEM ALTA DE 30,5% E ATINGE 2,4 MIL BARRIS/D

Já a produção de gás natural no Estado avançou 35,4% no ano passado e atingiu 749,2 mil metros cúbicos diários, segundo a ANP

Por Carlos Nealdo | Edição do dia 25/02/2023 - Matéria atualizada em 26/02/2023 às 15h23

A produção anual média de petróleo e de gás natural registrou aumento significativo em Alagoas, no ano passado, segundo levantamento divulgado pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). De acordo com os dados, a produção de petróleo no Estado ficou em 2.413 barris por dia (bbl/d), volume 30,5% superior do que os 1.849,12 barris diários registrados em 2021. Já a produção de gás natural atingiu média anual 749,20 mil metros cúbicos por dia, um aumento de 35,4% ante os 553,13 mil metros cúbicos/dia registrados no ano anterior. Em Alagoas, a produção de petróleo é desenvolvida pela Origem Energia, que assumiu em fevereiro do ano passado o Polo Alagoas, um dos maiores ativos do programa de desinvestimento da Petrobras. O complexo inclui o campo de Paru, em águas rasas, e os campos terrestres de Pilar, Furado, Anambé, Arapaçu, São Miguel dos Campos e Cidade São Miguel dos Campos. O contrato de aquisição do polo foi assinado em 5 de julho de 2021 por US$ 300 milhões. Além dos campos, a concessão abrange ainda uma unidade de processamento de gás natural (UPGN) – a primeira a ser privatizada no país, com capacidade de processar 2 milhões m3 por dia –, duas estações de tratamento e uma malha de 230 km de dutos com acesso direto ao terminal de exportação de óleo TAMAC (em Maceió), assim como à malha da TAG que realiza o transporte de gás natural de longa distância no país. Em todo o País, a produção anual média de petróleo e de gás natural bateu recorde no ano passado. A de petróleo ficou em 3,021 milhões de barris por dia (bbl/d), valor 2,47% acima do recorde registrado em 2020, quando atingiu 2,948 milhões de bbl/d. A produção de gás natural atingiu média anual de 138 milhões de metros cúbicos por dia (m³/dia) em 2022, superando em 2,98% a marca de 134 milhões de m³/dia, observada no ano de 2021. Em dezembro de 2022, a produção total foi de 3,955 milhões de barris de óleo equivalente por dia (boe/d), sendo 3,074 milhões bbl/d de petróleo e 140,14 milhões m³/d de gás natural. No petróleo, houve queda de 0,7% na comparação com o mês anterior. Na comparação com dezembro de 2021, houve aumento de 8,3%. No gás natural, a produção caiu 0,2% em relação a novembro e subiu 6% na comparação com o mesmo mês do ano anterior.

PRÉ-SAL

A produção no pré-sal em dezembro foi de 2,986 milhões de boe/d e correspondeu a 75,5% da produção brasileira. Foram produzidos 2,347 milhões de bbl/d de petróleo e 101,56 milhões de m³/d de gás natural por meio de 135 poços. Houve aumento de 0,7% em relação ao mês anterior e de 10,2% na comparação com o mesmo mês do ano anterior. No mês de dezembro, o aproveitamento do gás natural foi de 97,4%. Foram disponibilizados ao mercado 52,96 milhões de m³/d, e a queima foi de 3,71 milhões de m3/d. Houve aumento na queima de 1,5% em relação ao mês anterior e de 11,4% na comparação com dezembro de 2021.

PRODUÇÃO

Os campos marítimos produziram, em dezembro do ano passado, 97,6% do petróleo e 84,3% do gás natural. Os campos operados pela Petrobras, sozinha ou em consórcio com outras empresas, foram responsáveis por 91,15% do total produzido. A produção ocorreu em 5.955 poços, sendo 499 marítimos e 5456 terrestres. O campo de Tupi, no pré-sal da Bacia de Santos, foi o maior produtor de petróleo e gás, em dezembro, registrando 837,92 mil bbl/d de petróleo e 39,11 milhões de m³/d de gás natural. As informações são da Agência Brasil.

Mais matérias
desta edição