app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5750
Economia

N�mero de cheques sem fundos cresceu 1,9% em 2004, diz Serasa

São Paulo - O volume de cheques sem fundos subiu  1,9% em 2004. Segundo levantamento divulgado pela Serasa, foram registrados 15,8 cheques sem fundos a cada mil compensados no ano passado, contra 15,5 em 2003. O índice apresentado em 2004 é o maior desde

Por | Edição do dia 03/02/2005 - Matéria atualizada em 03/02/2005 às 00h00

São Paulo - O volume de cheques sem fundos subiu  1,9% em 2004. Segundo levantamento divulgado pela Serasa, foram registrados 15,8 cheques sem fundos a cada mil compensados no ano passado, contra 15,5 em 2003. O índice apresentado em 2004 é o maior desde 1991, quando a pesquisa começou a ser feita. O Serasa, no entanto, destaca que a variação de 1,9% é a menor dos últimos cinco anos. Em 2004, foram compensados 2,106 bilhões de cheques. Desse total, 33,4 milhões voltaram por falta de fundos. Em 2003, foram compensados 2,246 bilhões de cheques e 34,9 milhões foram devolvidos por insuficiência de fundos. Em dezembro, o número de cheques sem fundos caiu 3%, com relação ao mês anterior. Em cada grupo de mil cheques compensados, 15,8 foram devolvidos por falta de fundos. Em novembro, o número de cheques devolvidos foi de 16,3 em cada grupo de mil. Pela pesquisa, em dezembro de 2004 foram compensados em todo o país 185,3 milhões de cheques, sendo que 2,93 milhões foram devolvidos por falta de fundos. Para o gerente de análise de crédito da Serasa, Márcio Torres, esse queda em dezembro já era esperada. Tradicionalmente, os consumidores pagam as suas dívidas aproveitando o recebimento do 13º salário. Além disso, a abertura de vagas temporárias no comércio possibilita que as pessoas paguem suas dívidas no prazo. “Em janeiro, como as pessoas ainda estão de férias, as compras diminuem e o volume de cheques sem fundos fica estável. Já em fevereiro e março, o volume aumenta. Março, aliás, é o pico de devolução de cheques sem fundos. Neste mês, as dívidas se acumulam com o descontrole de compras dos consumidores no final do ano e a inadimplência aumenta”, afirmou Torres. A falta de metodologia adequada nas operações de venda a prazo com cheques pré-datados, combinado à falta de planejamento dos consumidores, pode ser um dos motivos para o aumento do volume de cheques sem fundos em 2004, de acordo com os técnicos da Serasa. Torres explicou que os comerciantes costumam receber cheques sem muitos critérios, apenas para aumentar as vendas. Com isso, a devolução acaba aumentando um pouco.

Mais matérias
desta edição