app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5751
Economia

Vendas crescem 14,19% no com�rcio de Macei�

PATRYCIA MONTEIRO Se há um setor em Alagoas que não pode se queixar do ano de 2004, este é o comércio varejista de Maceió. Com exceção do mês de fevereiro – em que houve um desempenho inferior de vendas em relação ao ano de 2003 –, todos os meses registr

Por | Edição do dia 06/02/2005 - Matéria atualizada em 06/02/2005 às 00h00

PATRYCIA MONTEIRO Se há um setor em Alagoas que não pode se queixar do ano de 2004, este é o comércio varejista de Maceió. Com exceção do mês de fevereiro – em que houve um desempenho inferior de vendas em relação ao ano de 2003 –, todos os meses registraram aumento no volume de negócios na capital alagoana. É o que indica a Pesquisa de Comércio Varejista de Maceió, realizada mensalmente pela Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL). De acordo com o levantamento, as vendas em dezembro foram 14,19% melhores do que em dezembro de 2003. Em relação a novembro de 2004, o mês de dezembro, graças às compras de Natal, registrou um aumento de 41,79% no volume de vendas do varejo. “Foram dez meses consecutivos de variações positivas no comércio de Maceió”, diz o economista Sílvio Costa, que faz parte do Instituto de Estudos e Pesquisas da CDL, mencionando que desde março, as vendas só têm aumentado na capital alagoana. “Nos doze meses, a variação acumulada foi de 9,21%”, disse ele, sobre o incremento real observado ao longo de 2004. Mas o bom desempenho não atingiu todos os segmentos do mercado varejista. Segundo a pesquisa, no mês de dezembro, as vendas de lojas de cine-foto (-34%), calçados (-16%), utilidades domésticas (-11,33%), postos de combustíveis (-6,04) e livrarias e papelarias (-2,12%) ficaram aquém do desempenho registrado no mesmo período de 2003. Na outra ponta, as óticas (58,18%), concessionárias de veículos (39,34%), móveis e decoração(36,82%), materiais de construção, (33,16%) supermercados (14,41%), vestuário (6,89%), farmácia e perfumaria (3,59%) fecharam o ano com aumento nas vendas. De acordo com Sílvio Costa, que também é professor do Departamento de Economia da Universidade Federal de Alagoas, o ano de 2003 foi amargo para o comércio. Com o reaquecimento da economia brasileira, houve uma retomada do consumo em 2004. “Mas como a base de comparação foi um tanto fraca, os resultados mais consistentes só poderão ser observados em 2005”, explica.

Mais matérias
desta edição