app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5716
Economia

Exporta��es caem 5,7% no primeiro trimestre deste ano

Dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) indicam que a quantidade de produtos exportados pelo Brasil no primeiro trimestre caiu 5,7%, em relação à igual período de 2001. Esse desempenho indica que a redução da receita de exportações, de 13,8%, não

Por | Edição do dia 28/04/2002 - Matéria atualizada em 28/04/2002 às 00h00

Dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) indicam que a quantidade de produtos exportados pelo Brasil no primeiro trimestre caiu 5,7%, em relação à igual período de 2001. Esse desempenho indica que a redução da receita de exportações, de 13,8%, não foi provocada apenas pela queda de 9,4% nos preços internacionais dos produtos. Também pesou o recuo da demanda externa por itens produzidos no País. De janeiro a março, as vendas brasileiras somaram apenas US$ 11,890 bilhões. Esse comportamento atingiu os principais produtos industrializados de exportação - da celulose aos aviões da Embraer. Embarques Os embarques de semimanufaturados somaram US$ 1,782 bilhão no primeiro trimestre, o que significa uma queda de 18,1% em relação a 2001. Mas houve recuos de 12,4% nos preços dos produtos e de 7,7% na quantidade embarcada. Essa situação acarretou quedas nas receitas das vendas de celulose (de 24,2%), de couros e peles (de 4,8%), de alumínio em bruto (de 33,8%) e de açúcar em bruto (de 49,1%). No caso das manufaturas, as exportações somaram US$ 6786 bilhões no primeiro trimestre, o que significa uma queda de 15,4% em relação à igual período de 2001. Entretanto houve diminuições de 6,6% nos preços médios dos produtos no mercado internacional e de 10,2% nas quantidades embarcadas. Esse desempenho atingiu a receita de exportações do principal produto da pauta brasileira - os aviões - que caiu 28,2%. Mas também afetou os calçados (-14,4%), os automóveis de passageiros (-27 3%), os laminados planos (-33,6), os papéis e cartões (-21,2%) e a gasolina (-22,9%). O mesmo comportamento somente não se repetiu no caso dos produtos básicos, o conjunto que vem garantindo os saldos comerciais positivos do Brasil desde o ano passado. Nesse caso houve queda de 7,2% na receita de embarques, que totalizou US$ 2, 743 bilhões. Segundo a secretária de Comércio Exterior, Lytha Spíndola, o cenário internacional não vem se mostrando favorável às exportações brasileiras. Ela lembrou que as vendas da Embraer recuaram depois dos atentados terroristas aos Estados Unidos - fato que interferiu nos planos de companhias aéreas. Mas ela acrescentou que a queda de preços e a diminuição da demanda externa são fatores que pesam desfavoravelmente no comércio.

Mais matérias
desta edição