app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5749
Economia

IPCA desacelera, mas ultrapassa meta

| JANAINA LAGE Folha Online A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) recuou para 0,55% em novembro, segundo dados divulgados ontem pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado mostra desaceleração e

Por | Edição do dia 10/12/2005 - Matéria atualizada em 10/12/2005 às 00h00

| JANAINA LAGE Folha Online A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) recuou para 0,55% em novembro, segundo dados divulgados ontem pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado mostra desaceleração em relação ao desempenho do mês anterior, quando o índice havia apurado alta de 0,75% – o maior patamar em seis meses. A desaceleração em relação a outubro já era esperada: a média das previsões dos analistas, segundo o último Relatório de Mercado, organizado pelo Banco Central (BC) junto a instituições financeiras, apontava para redução da inflação. Apesar disso, a taxa acumulada no ano pelo IPCA é de 5,3%, um resultado acima da meta ajustada definida pelo BC de 5,1%, mas que, no entanto, ainda está dentro da margem de tolerância de 2,5 pontos percentuais. Segundo a gerente do Sistema de Índices de Preços do IBGE, Eulina Nunes dos Santos, para encerrar o ano dentro da meta ajustada, o índice teria de apurar deflação de 0,20%, uma hipótese praticamente descartada. O cenário mais provável é de que o índice encerre o ano de acordo com a previsão revista pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), órgão ligado ao Ministério do Planejamento, de 5,7%. Para encerrar o ano nesta marca, o índice precisa registrar alta de 0,37% em dezembro. Segundo Santos, não existem fortes pressões inflacionárias sobre o índice do próximo mês. Os principais aumentos previstos são de ônibus intermunicipal em Belo Horizonte, de ônibus urbano no Recife e de água e esgoto em Fortaleza. “A tendência é a inflação convergir para menos de 6%, uma vez que a taxa foi de 0,86% em dezembro do ano passado. Não existe indicação de taxa deste tamanho em dezembro”, afirmou Santos. A desaceleração do IPCA em novembro pode ser atribuída ao recuo dos preços do grupo transportes. Em outubro, este grupo atingiu alta de 2,21% e respondeu por 65% do índice. Em novembro, baixou para 0,66%. O efeito do aumento dos combustíveis começa a perder força.

Mais matérias
desta edição