app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5730
Economia

Morales quer refinarias da Petrobras

| Fabiano Maisonnave Folhapress Santa Cruz de La Sierra, Bolívia - Em inflamado discurso diante de milhares de simpatizantes, o líder socialista Evo Morales subiu o tom de sua promessa de nacionalizar a exploração do gás e petróleo bolivianos ao exorta

Por | Edição do dia 16/12/2005 - Matéria atualizada em 16/12/2005 às 00h00

| Fabiano Maisonnave Folhapress Santa Cruz de La Sierra, Bolívia - Em inflamado discurso diante de milhares de simpatizantes, o líder socialista Evo Morales subiu o tom de sua promessa de nacionalizar a exploração do gás e petróleo bolivianos ao exortar o Brasil a “devolver” duas refinarias compradas há seis anos pela estatal brasileira Petrobras. “Meus companheiros, essas refinarias têm de voltar às mãos de Santa Cruz, às mãos de Cochabamba, às mãos do povo boliviano. Vamos recuperar as refinarias, que saibam o Estado brasileiro e o companheiro Lula: se ganharmos as eleições, terão de nos devolver as refinarias que nos pertencem”, disse e foi saldado com palmas. Antes, o ex-líder cocaleiro afirmou que a nacionalização dos hidrocarbonetos será “a segunda independência para o país”. Não é primeira vez que Morales defende a reestatização das duas refinarias, mas o tom nunca foi tão agressivo. As duas plantas, compradas em 1999 por pouco mais de US$ 100 milhões, praticamente controlam o comércio de derivados de petróleo na Bolívia. O showmício em Santa Cruz de la Sierra foi o penúltimo compromisso de campanha de Morales. O candidato do Movimento ao Socialismo (MAS) lidera todas as pesquisas, com cerca de 58% de vantagem sobre o seu principal adversário, o ex-presidente Jorge “Tuto” Quiroga, de direita. Morales, porém, tem poucas chances de conseguir a maioria simples dos votos válidos. Nesse cenário, a Constituição boliviana prevê que o Congresso escolha o próximo presidente entre os dois mais votados. As pesquisas mostram que, nas eleições legislativas, os aliados de Quiroga levam vantagem sobre o MAS. O evento de reuniu vários milhares de pessoas - quase todas de origem indígena - diante de uma estátua de um índio guerreiro chiriguano, apesar de as pesquisas mostrarem que Morales perde para Quiroga em Santa Cruz e da concorrência com a transmissão do campeonato boliviano de futebol.

Mais matérias
desta edição