app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5731
Economia

Lucro dos bancos cresce 39% este ano

| NEY HAYASHI DA CRUZ Folha de São Paulo Os bancos que operam no Brasil lucraram R$ 19,599 bilhões entre janeiro e setembro deste ano, valor 39% maior do que o registrado em igual período de 2004. O resultado só não foi melhor porque os ganhos dos estra

Por | Edição do dia 18/12/2005 - Matéria atualizada em 18/12/2005 às 00h00

| NEY HAYASHI DA CRUZ Folha de São Paulo Os bancos que operam no Brasil lucraram R$ 19,599 bilhões entre janeiro e setembro deste ano, valor 39% maior do que o registrado em igual período de 2004. O resultado só não foi melhor porque os ganhos dos estrangeiros, afetados pela queda do dólar, cresceram menos do que a média observada nos bancos nacionais. Os números constam em levantamento feito pelo Banco Central a partir de relatórios entregues pelos bancos até o terceiro trimestre deste ano. No primeiro semestre, as instituições financeiras já haviam acumulado lucros de R$ 12,606 bilhões, o que representava aumento de 34% em relação ao resultado dos primeiros seis meses do ano passado. Os maiores resultados foram alcançados pelos bancos privados nacionais, que lucraram R$ 11,559 bilhões nos primeiros nove meses deste ano. Trata-se de um crescimento de 42,5% em relação ao mesmo período do ano passado. Bancos estatais apuraram ganhos de R$ 5,755 bilhões (+41,8%). Já os bancos controlados por estrangeiros lucraram R$ 2,285 bilhões, valor 17,4% maior do que o registrado entre janeiro e setembro de 2004. O menor crescimento se explica, em boa parte, pela queda do dólar. Só nos primeiros nove meses de 2005, a cotação da moeda caiu 19% ante o real. O levantamento inclui 104 instituições financeiras que entregaram seus relatórios ao BC até setembro passado. O resultado de cada uma delas varia de acordo com as características de cada banco, mas, de forma geral, os números indicam que os maiores lucros alcançados pelo setor refletem as elevadas taxas de juros praticadas no país e o aumento das receitas obtidas com cobranças de tarifas.

Mais matérias
desta edição