app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5729
Economia

APLs trazem avan�os no ano que vem

| PATRYCIA MONTEIRO Editora de Economia O Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) de Alagoas divulgou ontem seu balanço sobre as ações desenvolvidas em 2005. No saldo anual, muitas ações positivas: na área de comércio exterior,

Por | Edição do dia 21/12/2005 - Matéria atualizada em 21/12/2005 às 00h00

| PATRYCIA MONTEIRO Editora de Economia O Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) de Alagoas divulgou ontem seu balanço sobre as ações desenvolvidas em 2005. No saldo anual, muitas ações positivas: na área de comércio exterior, a instituição computou iniciativas como a rodada de negócios de Alagoas com o Cabo Verde; um seminário sobre exportações, em parceria com a Federação das Indústrias de Alagoas; a Caravana do Exportador e o programa Primeira Exportação. No âmbito da agricultura familiar, o Sebrae rememorou suas ações que visam o incremento no cultivo de produtos agroecológicos como o seminário Biofach, realizado em outubro e a discussão sobre certificação para produtos orgânicos. O programa de Arranjos Produtivos Locais (APL), desenvolvido com o apoio de 60 entidades parceiras, e a Secretaria de Planejamento do Estado, é um dos que apresentaram resultado mais significativos este ano. “Embora seja um programa de longo prazo, os APLs já estão alterando a economia de Alagoas graças à união de forças dos parceiros e dos próprios empreendedores”, afirmou Marcos Vieira, superintendente da Sebrae Alagoas. “O programa tem apresentado resultados tão positivos que já pensamos em incorporar novas possibilidades como o APL do biodiesel”, exemplifica. Resultados A animação de Vieira não é aleatória. Em 2005, os APLs de Alagoas deram passos importantes para consolidação da cadeia produtiva das dez áreas de negócios delimitadas inicialmente pelo programa. São elas: Mandioca e Movelaria (ambas no agreste); Turismo na Costa dos Corais e nas Lagoas; Laticínios, Apicultura e Ovinocaprinocultura (no sertão); Piscicultura (Delta do São Francisco e Tecnologia da Informação e Cultura no Jaraguá (ambas em Maceió). “Este ano, reforçamos a questão da identidade criando marcas para cada um dos APLs e também avançamos na capacitação tecnológica, nas pesquisas de mercado e na busca de novos canais de comercialização”, diz Ronaldo de Moraes e Silva, gerente da Unidade de Desenvolvimento Local do Sebrae. Na apicultura, por exemplo, Moraes e Silva destaca que a produção de mel do Estado cresceu saltando de 10 toneladas, há um ano e meio, para 100 toneladas. Ano que vem, está nos planos do APL criar 13 casas de mel, para promover a industrialização do produto e a criação de uma cooperativa. Em 2006, no núcleo de ovinocaprinocultura, serão implementadas duas unidades de beneficiamento de carne e de couro de cabras e ovelhas, além de ser colocada em operação a agroindústria de beneficiamento de leite. “Na área de Tecnologia da Informação, está prevista a criação de um pólo de informática, no Jaraguá, a exemplo do Porto Digital, localizado no Recife”, afirma o gerente do Sebrae. Uma agroindústria deve ser instalada ano que vem, no núcleo de mandioca, para permitir que a produção de farinha, diz Moraes e Silva. Além disso, três unidades de beneficiamento de pescados serão criados em Propriá, Pão de Açúcar e Penedo, o que incrementará a produção.

Mais matérias
desta edição