app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5730
Economia

Governo quer desonerar imposto de habita��o popular

| FOLHA ONLINE O governo prepara novas medidas para desoneração de tributos a compra de material de construção para habitações de baixa renda e tentar fazer com que o setor da construção civil reverta o fraco desempenho deste ano. Segmento estratégico p

Por | Edição do dia 25/12/2005 - Matéria atualizada em 25/12/2005 às 00h00

| FOLHA ONLINE O governo prepara novas medidas para desoneração de tributos a compra de material de construção para habitações de baixa renda e tentar fazer com que o setor da construção civil reverta o fraco desempenho deste ano. Segmento estratégico para a geração de empregos, a construção civil deverá encerrar 2005 com um aumento na produção de apenas 0,9%, de acordo com as projeções da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC). O presidente da Confederação Nacional das Indústrias (CNI), deputado Armando Monteiro Neto (PTB-PE), disse que há algum tempo vem sendo discutida a desoneração de insumos e matérias-primas do setor, desde que sejam usados na construção de habitações voltadas para a população de baixa renda. A idéia é criar uma cesta de materiais que têm forte impacto no custo final dos imóveis, como cimento e areia. Com isso, o governo acredita que será possível retomar os investimentos que o setor privado engavetou. A expectativa é que as medidas saiam no início de 2006. A preocupação do governo em dar estímulos para o setor retomar os projetos de investimento é grande. O baixo nível da taxa de investimento no país é um dos fatores que impedem crescimento mais forte da economia, sem pressões na inflação. Os empresários reclamam da política monetária, que fez com que o PIB recuasse 1,2% no terceiro trimestre deste ano, e da contenção dos investimentos públicos. Queda no faturamneto O setor de material de construção registra nos onze primeiros meses do ano uma queda de 10,91% no faturamento em relação ao mesmo período do ano passado, de acordo com dados da Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat). Segundo a associação, as perdas se devem às altas taxas de juros, uma vez que a demanda de materiais de construção é extremamente dependente de crédito. O setor de materiais é um dos que mais sofre com a manutenção de juros altos, pois depende de planejamento da compra por parte dos consumidores e necessita de contratação de mão de obra que não é financiada.

Mais matérias
desta edição